O Comitê Olímpico Internacional (COI) anunciou mais três casos de doping no esporte russo nesta sexta-feira. O trio foi flagrado em amostras que foram submetidas a reanálise recentemente após serem coletadas nos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi, em 2014, na Rússia.

Dos três atletas, a de maior destaque é Olga Zaitseva, medalhista de prata na prova de revezamento 4x6km do biatlo, que reúne tiro e esqui cross-country. Ela já havia perdido a medalha porque sua parceira, Olga Vilukhina, já havia sido flagrada em teste antidoping divulgado na quarta-feira desta semana.

Além de perder a medalha, Zaitseva ficará impedida de disputar as próximas edições dos Jogos Olímpicos, como a Olimpíada de Inverno de PyongChang, na Coreia do Sul, em fevereiro do próximo ano. A sanção também valerá para Anastasia Dotsenko e Yulia Chekaleva, ambas do esqui cross-country. Elas não subiram ao pódio em Sochi-2014.

A punição não vai recair nas participações anteriores de Zaitseva nas Olimpíadas. Uma das maiores atletas mundiais da modalidade, ela faturou a medalha de ouro nos Jogos de Turim-2006 e a prata nos Jogos de Vancouver-2010.

O COI não informou quais foram as substâncias detectadas nos testes reanalisados recentemente. “Os motivos destas decisões serão comunicados no futuro”, afirmou a entidade, em comunicado. O mesmo aconteceu com as punições anunciadas nas últimas duas semanas, em meio as investigações realizadas pela Oswald Commission, que apura casos de doping em Sochi-2014.

Com as punições anunciadas pelo COI nesta sexta, a Rússia chegou aos 25 atletas punidos recentemente por doping e proibidos de disputas as próximas edições das Olimpíadas de Verão e Inverno, em meio às investigações realizadas pela Oswald Comission.

Estas apurações visam principalmente os casos nos Jogos de Sochi-2014. A Rússia é acusada de doping sistemático e até com o apoio do governo durante o evento. Há suspeita de trocas de amostras dos atletas locais ao longo de todo o evento de inverno.