A eleição para o comando da Federação Paranaense de Futebol, marcada para o próximo dia 21, tende a ter apenas uma chapa na disputa. Não porque Hélio Cury e Ricardo Gomyde tenham chegado a uma composição ou algum deles desistido da disputa, mas por conta do regulamento da Assembleia Geral, estabelecido pela Comissão Eleitoral.

No domingo, a comissão acatou impugnação apresentada pela oposição à inclusão de duas equipes amadoras femininas, Assaí e Iguaçuense, na lista de votantes, reduzindo para 59 o número de agremiações aptas a votar. Como o regulamento da eleição exige o apoio mínimo de 30 entidades para que uma chapa seja inscrita, fatalmente, uma das concorrentes não alcançará o número mínimo de apoiadores.

Também na noite de domingo, a comissão eleitoral recusou impugnações à lista apresentada por cinco equipes que apoiam Gomyde, mantendo-as fora da lista de votantes por terem alguma pendência com a entidade ou por não terem participado de todas as competições oficiais a que estavam habilitadas nos últimos anos. Batel, Andraus, Cascavel CR, ARBESC e Olympique pleiteavam serem aceitas como equipes votantes, o que possibilitaria o bate-chapa, com mais de 60 eleitores participando, mas tiveram seus pedidos negados. Segundo o advogado Juliano Tetto, candidato a vice na chapa de Gomyde, as cinco equipes vão mover, individualmente, medidas judiciais para participar do pleito. Com o prazo para inscrição de chapas terminando amanhã, Tetto disse que a chapa passará o dia de hoje contabilizando apoios para registrar a candidatura, mas afirma já ter conseguido 30 assinaturas. A estratégia é convencer clubes, principalmente amadores, a revogar o apoio dado a Cury, que registrou chapa com 42 apoios e diz já contar com 46, para viabilizar a oposição.

A disputa na FPF, inclusive, marcou a rodada de abertura da Taça Paraná, no final de semana. “Já tivemos mais de 80 equipes disputando o torneio e hoje iniciamos a competição com apenas nove. A Federação não ajuda em nada. Estamos passando por problemas sérios e é preciso urgente mudar isto”, disse Cúnico Bach, presidente do Nacional.

Na sexta, a chapa de Cury anunciou quatro novos apoios, que teriam revogado apoio a Gomyde: Sergipe, Grecal e Campo Mourão e a Liga de Campina Grande do Sul. Tetto comentou que o Sergipe nunca esteve com a oposição e a Liga de Campina Grande do Sul, realmente, mudou de ideia novamente. Quanto aos outros dois clubes ele contesta, dizendo que o Grecal já revogou o apoio a Cury e a assinatura de apoio do Campo Mourão que a chapa de situação tem é de um ex-presidente, e que o atual fechou com Gomyde.

A Tribuna procurou os três integrantes da comissão eleitoral, Adalberto Grein, Jessé Kochanovecz e Leandro Souza Rosa, mas apenas Kochanovecz retornou as ligações, dizendo que não poderia comentar decisões da comissão, e que apenas as partes envolvidas são comunicadas.