O Santos voltou a mostrar nesta noite que depende muito da inspiração de Ganso e Neymar para vencer. Em noite sem brilho dos dois, o time santista jogou mal, apresentou problemas na marcação e na criação e perdeu para o Bragantino por 2 a 1, em Bragança Paulista, em jogo válido pela 14.ª rodada do Campeonato Paulista.

Brigando contra os outros três grandes pela liderança do estadual, o Santos estaciona nos 28 pontos e pode ver os rivais abrirem vantagem na ponta do Paulistão ao fim da rodada. Já o Bragantino chegou aos 19 pontos, foi a nono, e colou no G-8.

A segunda derrota santista seguida – no meio da semana, caiu frente ao Colo Colo pela Libertadores – deve decretar o fim da passagem de Marcelo Martelotte, ex-goleiro do Bragantino, pelo comando do Santos. Pressionado por resultados, ele deve ver crescer dentro do clube o interesse na contratação de um treinador com mais rodagem. Muricy Ramalho é o primeiro da lista.

O JOGO – Precisando vencer para afastar a crise, o Santos entrou em campo em Bragança Paulista com uma postura ofensiva. Nos 15 primeiros minutos de jogo, praticamente só o time santista jogou, mas só assustou em um chute de longe de Elano, que Gilvan pegou no alto.

Quando o Bragantino conseguiu se organizar, carimbou a trave de Rafael com um cabeceio de Marcelinho. O goleiro já estava batido no lance. Depois disso, o time da casa cresceu e, aos 25, abriu o placar. Julio Cesar recebeu na entrada da área e rolou para Léo Jaime, que bateu cruzado e fez 1 a 0.

Após quase levar o segundo em uma falha da zaga, que saiu jogando errado, o Santos conseguiu o gol de empate. Zé Eduardo foi derrubado por Everaldo na área. Na cobrança de pênalti, Elano tirou o goleiro Gilvan e marcou. A bola ainda bateu no pé da trave direita antes de entrar.

Na segunda etapa, o jogo continuou ruim para o Santos. Neymar, estreando nova chuteira personalizada, não fazia grande partida. Ganso se apresentava pior ainda e nada criava. O meia, aliás, poderia ter sido expulso depois de dar uma forte solada em um adversário. Aos 32, acabou substituído por Maikon Leite.

Com seus principais jogadores em noite sem brilho, o Santos só assustou o Bragantino três vezes na segunda etapa. Primeiro, em um chute ruim de Elano, após boa jogada de Neymar. Logo depois, o mesmo Elano bateu uma falta que beliscou o pé da trave de Gilvan. Aos 33, o time santista chegou a balançar as redes, mas o gol foi bem anulado pelo árbitro Leandro Bizzio. No lance, Neymar empurrou Murilo na área, o defensor se desequilibrou e marcou contra.

Aos 38, o Bragantino carimbou mais uma vez a trave de Rafael, novamente de cabeça, mas dessa vez com Fabrício Carvalho. Quase nos acréscimos, o time da casa fez o segundo. Após cobrança de escanteio da direita, a zaga santista ficou olhando e Marcelinho não precisou subir muito para testar firme e mandar a bola para o fundo das redes.

FICHA TÉCNICA:

Bragantino 2 x 1 Santos

Bragantino – Gilvan; Carlinhos, Murilo Henrique e Everaldo; Nêgo, Rodriguinho (Paulo Roberto), Eder, Marcelinho e Julio Cesar; Leo Jaime (Fabrício Carvalho) e Diego. Técnico – Marcelo Veiga.

Santos – Rafael, Danilo, Edu Dracena, Durval e Pará; Adriano, Possebon, Elano e Paulo Henrique Ganso (Maikon Leite); Neymar e Zé Eduardo. Técnico – Marcelo Martelotte.

Gols – Léo Jaime, aos 25, e Elano, aos 31 minutos do primeiro tempo. Marcelinho, aos 44 minutos do segundo tempo.

Árbitro – Leandro Bizzio Marinho.

Cartões amarelos – Nêgo, Carlinhos, Murilo Henrique, Neymar, Paulo Henrique Ganso, Danilo, Adriano e Zé Eduardo.

Renda e público – Não disponíveis.

Local – Estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista.