Foi na base do sufoco, com dois a menos, mas o Corinthians voltou a vencer. Nesta quarta-feira, fez 3 a 2 no Grêmio, num Pacaembu com público aquém do normal, e se garantiu pelo menos mais uma rodada na liderança do Campeonato Brasileiro. Nos últimos dez jogos, essa foi apenas a terceira vitória corintiana.

Chicão, num pênalti contestável, abriu o placar no primeiro tempo. Douglas empatou de falta. No segundo tempo, quando o Grêmio era melhor, o Corinthians achou dois gols. Com dois a mais, os visitantes descontaram com André Lima, pressionaram, mas não conseguiram chegar ao empate.

Com a vitória, o Corinthians foi a 40 pontos, contra 38 do Vasco, momentaneamente o segundo colocado. Na próxima rodada, sem Edenilson e Liedson, pega o Coritiba, domingo, na casa do adversário. O Grêmio, que tem 21, em 15.º, recebe o Atlético-PR, também domingo. Adversário direto contra o rebaixamento.

O JOGO – Para tentar afastar a má fase, o técnico Tite voltou a mexer na equipe corintiana. Tirou Jorge Henrique e colocou Edenilson no meio campo, alterando o esquema para o 4-4-2. Emerson e Liedson formavam a dupla de ataque. No Grêmio, na ausência de Gabriel, o volante Adilson foi deslocado para a lateral direita.

A primeira chance do jogo foi de Marquinhos, que recebeu aberto na direita e bateu rasteiro. Júlio César saiu mal, tocou na bola e por pouco não permitiu que o Grêmio abrisse o placar. Já Victor foi muito bem na primeira oportunidade corintiana. Alessandro recebeu de Danilo e arriscou o chute. A bola desviou na zaga e ia encobrindo o goleiro, que, mesmo sentado no chão, conseguiu dar um soco com uma mão só, impedindo o gol corintiano.

O time da casa abriu o placar num lance bastante polêmico. Alessandro cruzou, Emerson trombou com Adilson, que estava de costas, e caiu na área. O árbitro André Luiz de Freitas Castro marcou pênalti. Victor apontou para o lado direito, pedindo que Chicão batesse ali. O zagueiro atendeu o goleiro, que não conseguiu chegar na bola.

O Corinthians ainda balançaria as redes mais duas vezes, ambas com Emerson, mas ele estava impedido nas duas oportunidades e por isso os gols foram anulados. Na primeira, ele recebeu de Danilo e marcou um golaço de primeira. Na outra, o passe foi de Liedson e Emerson finalizou quando o jogo já estava paralisado.

Com o jogo aberto, os dois goleiros tinham bastante trabalho. Numa bobeira de Saimon, Liedson roubou a bola, driblou Vilson e tocou na saída de Victor, que defendeu com os pés. Júlio César também fez ótima defesa em chute de longe de Julio Cesar, desde o bico esquerdo da área, em que o goleiro do Corinthians se esticou todo para espalmar no ângulo direito.

Foi da mesma região, pelo lado esquerdo, que nasceu o gol gremista. Edenilson fez falta em André Lima. Douglas bateu por cima da barreira, no ângulo direito, e Júlio César não conseguiu sequer chegar na bola para evitar o empate.

Embalado pela igualdade no placar, o Grêmio voltou melhor para a segunda etapa, passando a dominar a posse de bola e pressionar o Corinthians em busca da virada. Júlio César teve que salvar o time da casa em mais um chute venenoso do seu xará gremista. Douglas, numa cobrança de escanteio, também quase marcou um gol olímpico.

Quando parecia mais perto de levar a virada do que voltar a marcar, o Corinthians achou o dois gols. Jorge Henrique, que entrou no lugar de Danilo, participou de ambos. No segundo gol, ele tocou, Fernando escorregou, não conseguiu fazer o corte, e a bola chegou a Paulinho, que bateu forte e desempatou. Três minutos depois, o atacante corintiano fez o cruzamento, Liedson errou o chute, a zaga cortou mal e a Ramon fez na sobra.

No minuto seguinte ao terceiro gol, Liedson entrou solando em Edcarlos, já tinha o amarelo e acabou expulso. Com um a menos, o Corinthians recuou. Aos 28, Douglas cobrou escanteio da direita, Edcarlos desviou no primeiro pau e André Lima, livre, escorou para as redes no segundo.

A segunda expulsão veio do rigor do árbitro André Luiz de Freitas Castro. Edenilson ia ser substituído por Wallace, mas demorou a deixar o campo. Levou o segundo amarelo e deixou o Corinthians com dois jogadores a menos.

Nos minutos finais, o Grêmio pressionou, buscou o empate, mas parou duas vezes na boa atuação de Júlio César. Os visitantes deixaram o campo lamentando os três minutos de acréscimo dados pelo árbitro, apesar das duas expulsões, seis alterações e três gols no segundo tempo.

FICHA TÉCNICA:

Corinthians 3 x 2 Grêmio

Corinthians – Júlio César; Alessandro, Paulo André, Chicão e Ramon (Welder); Ralf, Paulinho, Edenilson e Danilo (Jorge Henrique); Emerson (Wallace) e Liedson. Técnico – Tite.

Grêmio – Victor; Adilson, Vilson (Edcarlos), Saimon e Julio Cesar; Fernando, Fábio Rochemback, Marquinhos (Brandão) e Douglas; Escudero (Leandro) e André Lima. Técnico – Celso Roth.

Gols – Chicão (pênalti), aos 18, e Douglas, aos 40 minutos do primeiro tempo. Paulinho, aos 19, e Ramon, aos 22, e André Lima, aos 28 minutos do segundo tempo.

Árbitro – André Luiz de Freitas Castro (GO).

Cartões amarelos – Liedson, Edenilson, Douglas, Leandro, Fábio Rochemback e Adilson.

Cartão vermelho – Liedson e Edenilson.

Renda e Público – Não disponíveis.

Local – Estádio do Pacaembu, em São Paulo.