SELO_PARANAENSE_2018_WEB

Além de Atlético, Coritiba, Londrina e Paraná Clube, outros oito times estão no Campeonato Paranaense. Sem o calendário do quarteto favorito, eles querem surpreender, apostando em técnicos jovens e jogadores experientes. Conheça os oito franco-atiradores do Estadual:

Cianorte

Richarlyson é a atração do Cianorte. Foto: Mônica Chagas/Tribuna de Cianorte
Richarlyson é a atração do Cianorte. Foto: Mônica Chagas/Tribuna de Cianorte

Com um calendário atrativo em 2018 com as disputas da Copa do Brasil e da Série D do Campeonato Brasileiro, o Cianorte quer surpreender novamente na disputa do Campeonato Paranaense deste ano. Semifinalista de 2017, o Leão do Vale conseguiu manter alguns jogadores importantes que se destacaram no ano passado, o técnico Marcelo Caranhoto e fez também contratações pontuais. Destaques para o volante e zagueiro Richarlyson, filho do Lela, ex-jogador do Coritiba e irmão do atacante Alecsandro, e também para o atacante André Luis, que se destacou pelo Santa Cruz na Série B do ano passado. O centroavante, inclusive, despertou interesse de Botafogo e Fluminense, mas optou pelo Cianorte pelo projeto apresentado pelo clube do Noroeste do Estado.

União

Francisco Beltrão terá novamente um representante na elite do futebol paranaense. O União, que conquistou o acesso à primeira divisão em 2017, será uma das novidades da edição de 2018 do Campeonato Paranaense. O comandante do time beltronense será mais uma vez o experiente Ivair Cenci, que atua também na gestão da equipe como diretor de futebol. O clube conseguiu manter a base dos dois últimos anos e conta com vários jogadores experientes. Entre eles o volante Léo Maringá, o lateral-direito Wellington Monteiro, o goleiro Marcos Paulo, o volante Sato, além do zagueiro Spice. O treinador não escondeu que o principal objetivo do União, neste retorno à elite, é evitar o rebaixamento à segunda divisão.

Rio Branco

Classificado em 2017 por conta da escalação irregular do atacante Getterson, pelo J. Malucelli, o Rio Branco quer apagar a má impressão deixada nos anteriores e voltar a ser forte na disputa do Campeonato Paranaense. A aposta do Leão da Estradinha é no técnico Maurílio, ex-jogador do Paraná Clube e que fez toda a sua curta carreira de treinador no futebol do Nordeste. O comandante do time parnanguara, inclusive, trouxe diversos jogadores do Nordeste, mas a equipe conta com atletas rodados e conhecidos do futebol paranaense. Casos do lateral-direito Raul, ex-Atlético, do volante Camargo, ex-Paraná e J. Malucelli, além do meia-atacante Tharlles e do atacante Rodrigo Jesus.

Prudentópolis

Nei será o lateral-direito do Prudentópolis. Foto: Albari Rosa
Nei será o lateral-direito do Prudentópolis. Foto: Albari Rosa

A mescla de juventude e experiente é a grande aposta do Prudentópolis para a disputa da edição de 2018 do Campeonato Paranaense. O comando será do ex-goleiro do Santos e que teve passagens pela Roma, da Itália, Júlio Sérgio. Na equipe, que disputará, em 2018, a Série D do Campeonato Brasileiro, o Prude conta ainda com o lateral-direito Nei, ex-Vasco, Inter, Atlético e Paraná, com o volante Cícero e com o atacante Safira. Durante a preparação, o Prudentópolis conseguiu bons resultados em jogos-treinos e provou que pode surpreender no Estadual deste ano. Empatou diante do União, em Francisco Beltrão e, também fora de casa, venceu o Joinville.

Toledo

Salvo do rebaixamento no Paranaense de 2017 por conta da punição do J.Malucelli, o Toledo quer muito mais para esta temporada. Para isso, Paulo Baier foi contratado para ser o treinador do Porco que almeja conquistar uma das vagas para Série D oriundas do Estadual. O elenco conta com grande parte dos jogadores que disputaram a Taça FPF sub-23 ano passado. Para integrar o grupo chegam ao clube o volante Bruno Bêra, que estava no Bangu-RJ, e os zagueiros Renan Dutra, que passou pelo Sampaio Corrêa-MA, e Eduardo, que estava no São Caetano-SP, o lateral Eduardo, ex-São Luiz-MA, e o meia Lucas Pará, revelado pelo Paraná Clube e que jogou pelo Cianorte em 2017. Além deles, o grande destaque é o meia Ferreira, que chegou de empréstimo do Grêmio e foi um pedido feito pessoalmente por Baier ao técnico gremista Renato Gaúcho.

Cascavel

Milton do Ó, o técnico do Cascavel. Foto: Arquivo
Milton do Ó, o técnico do Cascavel. Foto: Arquivo

Com metas ousadas, o Cascavel quer ir além do 6º lugar conquistado no ano passado no Campeonato Paranaense. O objetivo é, em 10 anos, chegar à Série A do Campeonato Brasileiro. Antes disso, a serpente foca na Série D para 2019. E para que essas projeções sejam alcançadas, foram feitos investimentos na infraestrutura do clube: o estádio e centro de treinamento foram reformados. Para conduzir o time ao cenário dos sonhos, o escolhido foi o técnico Milton do Ó, treinador responsável pela surpreendente campanha do modesto Prudentópolis no ano passado, quando chegou às quartas de final, mesmo com uma das folhas salariais mais baixas da competição. A base da Serpente para a disputa do Estadual será da equipe do sub-23, que foi vice-campeã da Taça FPF no ano passado com o reforço dos experientes goleiro Vinicius Barriviera, ex-Atlético, o volante Xaves, com passagens por Paraná Clube e Atlético-MG, o atacante Alef Manga, artilheiro da Segunda Divisão do Paranaense pelo Maringá, e o garoto Tocantins, que passou pelo sub-23 do Furacão.

Foz do Iguaçu

No campeonato paranaense de 2017 o Foz do Iguaçu teve uma tímida participação e apenas lutou para não cair, terminando na décima colocação. Para este ano, as dificuldades continuam. Mesmo contando apenas com a disputa estadual no calendário e restando poucas semanas para a estreia, a preparação do time foi iniciada apenas em janeiro. O treinador é Allan Aal, ex-zagueiro que já trabalhou nas categorias de base do Coritiba e também no profissional do Rio Branco em 2015 e 2016. Ao lado do supervisor do clube, José de Negreiros, trabalharam para montar um elenco dentro da realidade do clube. Retornam ao grupo do Foz para integrar o elenco, 15 jogadores do sub-23, que disputaram o Paranaense, a Série D e a Copa FPF este ano.

Maringá

Bruno Batata vai jogar no Maringá. Foto: Divulgação
Bruno Batata vai jogar no Maringá. Foto: Divulgação

De volta à primeira divisão do Campeonato Paranaense o Maringá chega com o título da Segunda Divisão e da Taça FPF Sub-23, o que lhe rendeu uma vaga na Série D do Campeonato Brasileiro da Série D. Sob o comando do técnico Fernando Marchiori doze atletas são remanescentes da vitoriosa temporada de 2017. Entre eles, o atacante Dandan, destaque da equipe na Taça FPF. Em oito partidas, o jogador marcou dois gols e deu uma assistência. Além deles, o clube segurou o goleiro Valdemar e o atacante Lucão. Para completar o grupo, chegam alguns jogadores já conhecidos da torcida paranaense. Os atacantes Bruno Batata e Rafael Bastos, os zagueiros Alex Fraga e Renan Costa, os volantes Ícaro e Borges, e o meia Washington Catanio. Durante a pré-temporada o time fez três jogos-treino com o Cianorte. Foram dois empates (0x0 e 2×2) e uma vitória (1×0) para o Zebra.