A derrota para o Coritiba, por 2 a 0, neste domingo, no Couto Pereira, fez o técnico Vanderlei Luxemburgo praticamente jogar a toalha e colocar o Flamengo fora da briga pelo título, agora mais restrita a Vasco e Corinthians, que têm cinco pontos de folga nas duas primeiras colocações, a quatro rodadas do fim do Brasileirão. Para o treinador, o foco é a vaga na Copa Libertadores do ano que vem.

“Acho que a briga pelo titulo ficou difícil. Temos que buscar nossa vaga na Libertadores. E para isso será importante vencer o confronto direto com o Figueirense. Nosso adversário é o time que mais cresceu nessa reta final. Precisamos nos preparar muito bem para esse jogo”, comentou Luxemburgo, falando da partida de quinta-feira, no Engenhão. Com os resultados da rodada, o time catarinense já deixou o Flamengo para trás, subindo para quarto, com 56 pontos, um ponto e duas posições à frente da equipe rubro-negra.

Sobre a derrota no Couto Pereira, Luxemburgo considerou o resultado justo dada à atuação do Coritiba e ao péssimo desempenho do seu próprio time. “Não vou tirar o mérito da vitória deles. Perder aqui é normal. Eles têm grandes jogadores, com uma velocidade impressionante. Além disso, foi uma das piores partidas do Fla no Brasileiro”, avaliou o treinador.

Luxemburgo também falou sobre a decisão de sacar o jovem Thomás tão logo o Flamengo tomou o segundo gol, ainda no primeiro tempo, para a entrada de Willians. Ele quer que a torcida poupe o garoto que foi campeão da Copa São Paulo deste ano e é uma das principais esperanças do clube. “Não podemos perder essa molecada. Tem que criticar o Luxa (Luxemburgo), o Renato, o Ronaldinho, e deixar eles sossegados”.

Assim como já haviam feito os jogadores flamenguistas ainda na saída do campo, Luxemburgo criticou bastante a atuação da arbitragem. O principal foco da reclamação é um pênalti não marcado por Jailson Macedo Freitas quando Ronaldinho foi derrubado na área logo após o Coritiba fazer o segundo gol.

“Na primeira jogada, o camisa 7 deles (Rafinha) fez uma falta por trás e ele deixou passar. Ali, o jogo ficou caracterizado para mim. Coloquei um pé fora da área técnica e ele veio falar comigo. O delegado não quis passar a escalação do Coritiba. Queria saber quem deles tinha levado cartão. É uma vergonha o que aconteceu aqui. Lamentável”, afirmou Luxemburgo, ainda em Curitiba.