A volta do técnico Luiz Felipe Scolari não animou apenas a torcida palmeirense. Nesta terça-feira, o goleiro Marcos não escondeu a alegria de poder ser comandado novamente por aquele que liderou o time na conquista da Copa Libertadores de 1999. Felipão também comandou o goleiro na seleção brasileira, no título da Copa do Mundo de 2002.

“É claro que o elenco e a torcida vão ficar muito mais esperançosos e confiantes. O Felipão é ídolo do clube e vencedor por tudo o que já conquistou”, comentou Marcos. “Criei uma relação de amizade enorme no período em que ele esteve aqui e também na seleção brasileira”.

Empolgado pela chegada de Felipão, o goleiro comentou poderá adiar a sua aposentadoria. Em 2009, ele declarara que poderia parar no final deste ano. “Nunca falei que iria parar por causa de treinador ou elenco, mas somente pelas minhas condições físicas. Se eu chegar no final do ano em alto nível, com certeza vou ficar por mais tempo. Mas vamos aguardar”, ponderou.

Marcos, porém, evitou criar expectativas sobre o rendimento do time na volta do Brasileirão. Para o goleiro, Felipão precisará de tempo para fazer ajustes e montar uma equipe vencedora. “A gente sabe que é preciso ter paciência, pois o planejamento é a longo prazo. Mas é claro que vamos dar continuidade no Campeonato Brasileiro para ser campeão. Nosso elenco está mais qualificado e a diretoria está correndo atrás de mais nomes”, avaliou.

Sobre seu retorno ao time, o goleiro não garantiu que voltará no clássico com o Santos, na quinta-feira. Ele passou por uma artroscopia no joelho esquerdo há menos de um mês, mas disse não sentir mais dores no local.

“Ainda não sei se vou jogar. Vinha treinando com bola, mas meu joelho voltou a inchar e eu fiz trabalhos específicos. Mas não estou sentindo dores e nesta quarta vou realizar um trabalho mais forte para ver se tenho condições de estar em campo”, afirmou.