Foto: Valquir Aureliano
Jair Cirino, presidente do biênio 2008/09: projeto ambicioso.

Uma nova era começa hoje para o Coritiba. Às 19h30, no Couto Pereira, a diretoria liderada por Jair Cirino dos Santos assume oficialmente o comando do clube. Pela frente, dois anos de muitos desafios e a missão de não decepcionar a torcida, que exige ver o Coxa de volta à briga pelos grandes títulos do futebol brasileiro.

Eleita pelos sócios no dia 16 de dezembro, a nova direção coloca ponto final em seis anos de gestão comandada por Giovani Gionédis. O antigo presidente conseguiu amenizar a situação financeira do clube e colocou o Coxa novamente na Libertadores, em 2004. Mas ficou mesmo marcado pelo rebaixamento à segunda divisão nacional.

O próprio Gionédis levou o time de volta à elite, com a conquista do título de campeão brasileiro da Série B, no ano passado. Mas isso não bastou para convencer os sócios do clube. Por apenas um voto, Jair Cirino conseguiu desbancar o grupo do ex-presidente, com um discurso marcado pelas palavras profissionalismo e planejamento.

Um ambicioso plano de gestão, que projeta tornar o Coxa uma potência continental até 2020, vai nortear a administração do clube. ?Não trabalhamos no imediatismo. O futebol é hoje um negócio tão rentável que não existe mais espaço para o amadorismo?, dizia o novo presidente, ainda em época de campanha.

Na área administrativa, a principal novidade prometida é a criação de diretorias profissionais, com diretores remunerados. Mudança que será amparada por uma reformulação completa dos estatutos. Planos como a montagem de um time forte, reformas no Couto Pereira e investimento maciço nas categorias de base também fazem parte do ?Projeto Vencer?, o tal plano estratégico que quer transformar o Coxa em um dos maiores da América.

O difícil será provar que tudo não passou de uma bem bolada peça de campanha. Quando sentar na cadeira de presidente, Jair Cirino terá que administrar uma dívida calculada por ele mesmo em cerca de R$ 20 milhões.

E também as cobranças de uma exigente torcida, que não aceitará fracassos às vésperas do aniversário de 100 anos do clube, em 2009.

O novo chefão do Alto da Glória já mostrou que não tem medo de fazer promessas. ?Precisamos garantir uma vaga na Libertadores de 2009, para coroar o centenário do Coritiba. Não podemos pensar apenas em permanecer na primeira divisão?, disse Cirino em 16 de dezembro, ainda empolgado pela dramática vitória nas urnas.

Mas, por enquanto, a realidade aponta para um ano de muita dificuldade.

A nova diretoria toma conta do departamento de futebol há mais de uma semana, mas o Coxa ainda é o único time da elite nacional sem treinador. No CT da Graciosa, só uma lista de dispensas apareceu. E nem sinal dos reforços aguardados pela galera. A temporada 2008 começa na quarta-feira da semana que vem, quando o Coxa recebe o Iraty, na estréia no Campeonato Paranaense.