O Comitê de Ética da Fifa anunciou nesta quarta-feira a suspensão do catariano Saoud Al-Mohannadi por um ano. O vice-presidente da associação de futebol do seu país e da Confederação Asiática de Futebol (AFC, na sigla em inglês) foi punido por “não cooperar com o processo de investigação nos procedimentos contra uma terceira parte”.

Por causa da punição, Al-Mohannadi está impossibilitado de concorrer a um lugar no conselho da Fifa. Ele era um dos candidatos para a eleição que acontecerá no próximo dia 28 de fevereiro, em Kuala Lumpur, na Malásia.

“Porque o Sr. Al-Mohannadi não cooperou com o processo investigatório nos procedimentos contra uma terceira parte, o comitê o julgou culpado de violar os artigos 18 (dever de delatar, cooperar e reportar) e 42 (obrigação geral de colaborar) do Código de Ética da Fifa”, explicou a entidade em nota.

O Comitê de Ética da Fifa não especificou o caso em que Al-Mohannadi quebrou essas regras, mas garantiu que o caso não tem qualquer relação com o processo de seleção do Catar como sede da Copa do Mundo de 2022. Além da pena decretada, o dirigente recebeu uma multa de 20 mil francos suíços (cerca de R$ 68 mil).