O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 informou nesta quarta-feira que encontrou níveis inadequados de bactérias na baía do Odaiba Marine Park, em Tóquio, onde serão disputadas as provas de maratona aquática e triatlo.

As amostras colhidas no mês passado, durante 21 dias, revelaram que os níveis de coliformes fecais estão acima do padrão estabelecido pelas federações internacionais da maratona aquática e triatlo.

“Tomaremos todas as medidas necessárias para que o local das competições esteja nos padrões internacionais e as provas se desenvolvam com normalidade”, prometeu o ex-atleta olímpico Koji Murofushi, atualmente diretor esportivo do Comitê Tóquio-2020.

A organização da Olimpíada de 2020 culpou a chuva pelos resultados inadequados dos testes, uma vez que a qualidade da água costuma variar significantemente conforme o clima. O presidente da Comissão de Coordenação do COI para 2020, John Coates, se disse preocupado com os atletas. “Esperamos que as autoridades locais e a organização façam o possível para que as competições e a saúde dos atletas não sejam afetadas”, disse.

A situação lembra a polêmica que geraram testes realizados na Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro, a meses dos Jogos Olímpicos de 2016. Foram detectadas bactérias acima do permitido para competições na água carioca, o que gerou reclamações e críticas por parte de federações internacionais de remo e vela na época. As provas acabaram acontecendo no local sem maiores contratempos.