Depois de estar ameaçado até de fechar as portas, o Autódromo Internacional de Curitiba receberá neste final de semana a Corrida do Milhão, principal prova da categoria. Uma corrida diferente, onde os pilotos não só disputam pontos para a temporada, como também tentam engordar o bolso com R$ 1 milhão na conta.

Primeiro vencedor desta prova especial, Valdeno Brito sabe da dificuldade de se vencer na Stock, ainda mais com esta bolada em jogo no final. Porém, ele não acredita que haja uma preparação diferente visando o prêmio.

“Lógico que a preparação é sempre a mesma, mas certamente ganhar a corrida do milhão é diferente, principalmente por tudo que envolve. Eu fui o primeiro vencedor da Corrida do Milhão e até hoje falam desta corrida”, destacou o piloto da Eisenbahn Racing Team.

Companheiro de equipe de Valdeno, Vitor Genz é menos experiente que o parceiro, mas garnte que o foco está totalmente voltado apenas para a corrida, mas admite que se chegar nas últimas voltas com chances de ganhar, fica difícil não pensar no dinheiro que pode vir.

“Eu consigo separar bem, mas não tem como nas últimas voltas isso não pesar de alguma maneira. Mas todo o processo até as retas finais é tranquilo. Me preparei muito já para conseguir um pódio, uma vitória. Ganhar esse milhão é uma outra etapa”, destacou ele, que vem de uma vitória na última etapa, em Cascavel, e vê vários pilotos brigando pelo triunfo em Curitiba.

“Vir de uma vitória sempre motiva a equipe. O pessoal viu que nosso trabalho vem dando certo, mas a Corrida do Milhão sempre é muito difícil. Temos mais de 20 pilotos que podem ganhar este prêmio, mas claro que vamos dar o nosso melhor”, acrescentou.

De qualquer maneira, a promessa é de muita disputa e emoção na pista, ainda mais em um autódromo sempre elogiado pelos pilotos pelos diversos pontos de ultrapassagem e de velocidade.

“É uma pista bem legal, segura e com um traçado misto, com curvas em primeira marcha e outras em alta velocidade. Chegamos a 260 km/h no final da reta e só não chegamos mais porque tem que freiar no final”, afirmou Vitor Genz.

“Foi uma ótima escolha. Já tivemos em alguns lugares, e sem dúvida está em boas mãos. É um dos principais autódromos que tem e os paranaenses gostam muito de automobilismo”, destacou Valdeno Brito.