Quem pode ser enquadrada na futura lei que limita o mandato de dirigentes é a Confederação Brasileira de Clubes (CBC). A entidade, atualmente presidida por Francisco Antonio Fraga, está em uma briga ferrenha com o governo federal, por conta de R$ 100 milhões que deveriam ser destinados a clubes que contribuem para a formação de atletas olímpicos. Este dinheiro é fruto de 0,5% das arrecadações das loterias da Caixa Econômica Federal.

Os R$ 100 milhões estão parados há praticamente dois anos, por causa de uma indefinição entre governo e CBC. Enquanto a primeira alega que é responsabilidade da confederação fazer a distribuição destes recursos, a segunda afirma que o Ministério do Esporte não definiu as regras para a utilização do dinheiro.

Enquanto isso, alguns clubes que formam atletas de esportes olímpicos apenas aguardam para receber o que lhes é de direito. Quem também pretende, futuramente, entrar nesta lista é o Paraná Clube. “Vamos pleitear todos os recursos possíveis”, afirmou o vice-presidente Luiz Carlos Casagrande.