Se Ronaldo não pode abandonar o Real Madrid para o carnaval, Ronaldo Gaúcho virá de qualquer maneira da França. Ele tem o que considera “uma missão sagrada”: desfilar em Porto Alegre. O atacante está envolvido na maior polêmica da história do carnaval do Rio Grande do Sul e haverá um duelo. De um lado, o jogador. Do outro, o ex-clube.

Ronaldinho Gaúcho será o tema da Escola de Samba Restinga. Seu irmão, o ex-jogador Assis, está incumbido de acompanhar onde estão sendo aplicados os R$ 200 mil que o atacante enviou para ajudar a escola, com uma exigência: que os dirigentes da escola diminuíssem ao máximo a citação ao Grêmio. O jogador apelou à Fifa para se desligar do clube que o lançou no futebol.

Só que o troco foi duro. A Escola Bambas da Orgia irá homenagear o centenário do Grêmio. No desfile, toda a história do clube será detalhada. E como não poderia deixar de ser, os jogadores que marcaram no clube serão citados em todas as alas.

Todos, menos Ronaldinho Gaúcho. Embora seja considerado a maior revelação desde a fundação do Grêmio, o ódio da transferência do atleta para o Paris Saint-Germain ainda continua pesando para a diretoria do clube, que também está colaborando financeiramente com o desfile. Está proibido citar o nome do atacante.

Especialista em carnaval gaúcho, Renato Dornelles resume o que acontecerá: “O clima de rivalidade entre as duas escolas lembra muito o clima de Grenal. Vamos ver no que vai dar.”