Para quem pensa que Atenas não terá mais esporte por um bom tempo, fora as competições nacionais, está redondamente enganado. A maratona do esporte na capital grega está apenas na metade.

Com o fim dos Jogos Olímpicos, os gregos se voltam agora para os Jogos Paraolímpicos de Atenas, e o Comitê Paraolímpico Brasileiro anuncia oficialmente que estão apenas no meio. Daqui a 18 dias ocorrem os Jogos Paraolímpicos e a equipe brasileira, a maior da história, com 98 atletas de 13 modalidades, embarca no próximo dia 9, de Brasília para Atenas.

Entre 17 e 28 de setembro, quatro mil atletas paraolímpicos de 143 países (20 a mais do que em Sydney). Seguindo a mesma tradição das divindades olímpicas, deuses paraolímpicos mostrarão a beleza dos seus movimentos e o esplendor de seus resultados, competindo em 19 modalidades. Esta será a maior participação na história das Paraolimpíadas que começaram em 1960, em Roma, com a presença de 400 atletas de 23 países.

Se em Sydney o Brasil obteve a sua melhor campanha da história, quando conquistou 22 medalhas (seis de ouro, 10 de prata e seis de ouro), agora que a delegação conta com resultados expressivos como os nove recordes mundiais, o País tem tudo para ficar entre as 20 primeiras potências do mundo.

O Brasil terá 97 atletas divididos em 13 modalidades. O evento terá algumas inovações em relação às últimas edições, como a realização do torneio feminino de vôlei e de judô e a inclusão do futebol de 5. Os participantes, pela primeira vez, entrarão na Paraolimpíada sem a necessidade de pagamento.

A disputa para deficientes físicos ainda não atraiu grande atenção do público, mas vem crescendo com o tempo. Embora a primeira edição tenha ocorrido em 1948, os Jogos Paraolímpicos passaram a ser realizados periodicamente desde 60. No início, porém, não eram, necessariamente, sediados pelo mesma cidade das Olimpíadas, fato que diminuía ainda mais sua visibilidade.

Em 88, em Seul, na Coréia do Sul, a Paraolimpíada começou, obrigatoriamente, a ser organizado também pela sede olímpica, condição que se mantém até hoje.