O técnico Dunga faz nesta quinta-feira a primeira convocação da seleção brasileira após a Copa América e deve apresentar algumas mudanças significativas em relação ao grupo que fracassou na competição disputada recentemente no Chile. A lista é para os amistosos de setembro nos Estados Unidos, mas o foco real é o início, em outubro, das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo da Rússia, em 2018.

A seleção enfrenta a Costa Roca no dia 5 de setembro, em Boston, e os Estados Unidos, três dias depois, em Nova Jersey. Em outubro, na corrida por uma vaga no Mundial de 2018, os jogos serão contra o Chile, em Santiago, e Venezuela, possivelmente em Fortaleza.

É pouco provável que Neymar seja chamado nesta quinta-feira por Dunga. Ele não poderá ser utilizado nas duas primeiras rodadas das Eliminatórias – terá de cumprir as duas partidas restantes de suspensão por sua expulsão na Copa América e da confusão em que se meteu após o jogo contra a Colômbia. Ele contraiu caxumba e não tem jogado por seu clube, o Barcelona.

Isso não seria um grande problema em termos de seleção, pois Neymar deve voltar a jogar pelo Barcelona no próximo dia 22. Mas o fato de estar suspenso pesa, embora o jogador, capitão e um dos líderes do time de Dunga, tenha dito recentemente que gostaria de estar presente no giro pelos Estados Unidos. Mas Dunga já sinalizou que não deve chamá-lo.

Os problemas do treinador são outros. Ele se decepcionou com muitos jogadores que levou à Copa América, por terem sentido o peso da camisa e não conseguirem se adaptar à dureza do jogo sul-americano. Deve por isso fazer algumas trocas. Dará oportunidade a alguns novatos, sem abrir mão de jogadores experientes. Mas quer sobretudo jogadores com personalidade e preparados para jogar.

“Na seleção não tem muitas oportunidades. O tempo é reduzido e você não pode chegar na seleção para se preparar”, disse o treinador ao site da CBF. “Tem de estar pronto para, quando chegar a oportunidade, tomar conta”.

Entre as novidades que podem aparecer na lista que Dunga divulgará às 11 horas na sede da CBF, no Rio, estão o meia santista Lucas Lima e o volante Rafael Carioca, do Atlético Mineiro. O zagueiro Gil, do Corinthians, e o atacante Alexandre Pato, do São Paulo, podem voltar a ter uma oportunidade com o treinador. O atacante gremista Luan também vem sendo observado.

RESGATE – Os jogadores que o treinador não pôde levar ao Chile por estarem contundidos são nomes fortes: o volante Luiz Gustavo, o lateral-direito Danilo e o meia Oscar (não foi convocado para a Copa América justamente para se preparar melhor para as Eliminatórias). O lateral-esquerdo Marcelo tem chances de retornar à seleção nos amistosos nos Estados Unidos.

Destaque na Copa América, o zagueiro Miranda é nome certo. Thiago Silva e Marquinhos podem estar na lista. Os meias Douglas Costa e Phillipe Coutinho têm boas possibilidades. Em contrapartida, Diego Tardelli, que está no futebol chinês, e Everton Ribeiro, jogando nos Emirados Árabes Unidos, dificilmente serão chamados. Eles decepcionaram Dunga por não apresentarem bom nível de competitividade na Copa América. O treinador parece convencido que, atuando em centros menores, eles ficam distantes da condição necessária para jogar pela seleção.

Fred, envolvido em caso de doping, está fora. E, apesar de ter sido bastante aproveitado na Copa América, Roberto Firmino corre sério risco de não voltar à seleção, pois não deu o retorno esperado.

NORDESTE – A CBF deve anunciar nos próximos dias que a seleção jogará na Arena Castelão, em Fortaleza, contra a Venezuela pelas Eliminatórias. Em novembro, a Arena Fonte Nova, em Salvador, deve receber o jogo contra o Peru.