O Brasil dá, nesta sexta-feira (6), mais um passo importante rumo ao hexa. Em Kazan, às 15h, a seleção brasileira terá pela frente, nas quartas de final, talvez o seu maior desafio até aqui na Copa do Mundo 2018. Contra a Bélgica, a expectativa é que os comandados por Tite encarem um adversário que atue totalmente fora das características do que já enfrentou até aqui.

Se na primeira fase o caminho foi contra retrancas de Suíça e Costa Rica e contra uma Sérvia que não tinha qualidades para atacar, e nas oitavas de final rapidamente segurou o ímpeto do México, agora será a vez de encarar um time que tem potencial e quer mostrar, na prática, que pode ser a sensação que a coloca num patamar até de candidata ao título.

A Bélgica tem em seu elenco nomes como os meias Hazard e De Bruyne, o atacante Lukaku e o goleiro Courtois, titulares dos principais clubes europeues, entre outros. Tem em seu DNA a ofensividade e o potencial de decidir jogos. Não à toa é chamada de ’Poderosa Geração Belga’. Mas, até aqui, não encantou.

É fato que tem a melhor campanha do Mundial no momento, com quatro vitórias, doze gols marcados e quatro sofridos. Mas, tirando a Inglaterra, quando as duas seleções jogaram com reservas, teve um caminho muito facilitado, contra Panamá e Tunísia na primeira fase e Japão nas oitavas. Ainda assim, sofreu para eliminar os asiáticos, chegando a estar perdendo por 2×0.

Lukaku é o artilheiro da Bélgica na Copa do Mundo, com quatro gols. Foto: Jonathan Campos
Lukaku é o artilheiro da Bélgica na Copa do Mundo, com quatro gols. Foto: Jonathan Campos

Por isso, embora seja um duelo que, na teoria, será equilibrado, pode ser o confronto mais fácil para o Brasil, que não irá encarar uma retranca e terá espaços para contra-atacar e jogar em velocidade. Pontos fortes da equipe de Tite, que aposta em uma partida equilibrada.

“O poder criativo da Bélgica é muito forte, a qualidade, vai ser um grande jogo. São duas equipes que primam por um futebol bonito, cada um com suas características. A Bélgica tem valores individuais de qualidade, um grande técnico, uma grande campanha. Temos um contra-ataque muito forte com pressão baixa, velocidade dos jogadores para sair em transição rápida. Tem uma característica marcante, no último terço do campo, tem muito drible”, avaliou o treinador

Confira o possível caminho do Brasil até a final

Até por isso, a ausência de Casemiro, que cumprirá suspensão por ter recebido o segundo amarelo contra os mexicanos, pode até não ser tão sentida. Fernandinho está acostumado a exercer a função no Manchester City, onde joga com os rivais de hoje De Bruyne e Kompany, e também sabe sair jogando. Não se perde a marcação e ganha na criação.

Além disso, a seleção voltará a contar com Marcelo, confirmado como titular na lateral-esquerda. O restante do time será o mesmo que vinha atuando, com Gabriel Jesus confirmado no ataque e o zagueiro Miranda voltando a ser o capitão verde e amarelo.

FICHA TÉCNICA

COPA DO MUNDO
Quartas de final – Jogo único

BRASIL x BÉLGICA

Brasil
Alisson, Fagner, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Fernandinho; Paulinho, Philippe Coutinho, Willian e Neymar; Gabriel Jesus.
Técnico: Tite

Bélgica
Courtois; Alderweireld, Kompany e Vertonghen; Meunier, Witsel, De Bruyne e Chadli; Fellaini, Hazard e Lukaku.
Técnico: Roberto Martinez

Local: Arena Kazan (Kazan-RUS)
Horário: 15h
Árbitro: Milorad Mazic (SER)
Assistentes: Milovan Ristic (SER) e Dalibor Djurdjevic (SER)