O pontapé inicial foi dado há oito anos. No dia 2 de dezembro de 2010, a Rússia foi escolhida como a sede da Copa do Mundo. Amanhã, a partir das 12h (horário de Brasília), a bola vai rolar pra valer no gramado do Estádio Lujniki, em Moscou. Os anfitriões recebem a seleção da Arábia Saudita no jogo de abertura.

O mundo inteiro estará de olho no Mundial. Para nós, brasileiros, o Mundial vale ainda mais. Seleção com mais títulos na história da Copa – são cinco no total -, o Brasil não levanta a taça desde 2002 e busca a reabilitação após ter tomado um verdadeiro vexame em casa, há quatro anos, quando foi goleado pela Alemanha, por 7 a 1, em Belo Horizonte.

Os nossos rivais alemães também podem fazer história no Mundial da Rússia. Com quatro conquistas, a Alemanha, de Manuel Neuer, Jérôme Boateng, Sami Khedira, Toni Kroos e companhia, pode igualar o número brasileiro e se juntar ao topo das seleções com mais troféus na Copa do Mundo.

Craques em campo

Os grandes talentos de todo o mundo estarão na Rússia. Três nomes encabeçam a lista: Neymar, Cristiano Ronaldo e Messi. Aliás, eles dispensam maiores apresentações. Mas, tem muito mais gente que pode roubar a cena e se tornar o grande craque da Copa da Rússia. Pela França, Antoine Griezmann é o ponto forte. Com 27 anos, o atleta já havia feito um bom Mundial no Brasil.

Quem chega bastante valorizado, mas é uma grande dúvida é Mo Salah, do Egito. O atleta do Liverpool é o principal nome na temporada europeia. Com belos gols assinalados por seu clube, o egípcio é a principal esperança de seu país, mas acabou se lesionando na final da Liga dos Campeões.

Cristiano Ronaldo comanda a seleção portuguesa.
Cristiano Ronaldo comanda a seleção portuguesa.

Pela Inglaterra, Harry Kane é o cara. Com faro de gol, o inglês disputará a sua primeira Copa. Na tradicional Espanha, o nome da vez é o meia Isco, 26 anos. Ele será o responsável por articular as jogadas da Fúria, após a aposentadoria de Iniesta. Ainda na Europa, a atual campeã Alemanha tem em Toni Kroos o seu ponto forte. Com passes precisos, o cara dita o ritmo do jogo alemão.

Não dá pra deixar de ressaltar também o trabalho dos belgas. Além de Hazard, a Bélgica conta com o craque Kevin De Bruyne, principal destaque do Machester City na conquista da Premier League. No futebol sul-americano, temos o uruguaio Luis Suárez, que foi destaque nos últimos mundiais pela alviceleste. E, é claro, James Rodriguez. Artilheiro da Copa de 2014, o colombiano levou o Prêmio Puskás e tem recuperado o seu bom futebol pelo Bayern de Munique.

Será que Messi terá uma melhor sorte com a Argentina neste ano?
Será que Messi terá uma melhor sorte com a Argentina neste ano?

Favoritos

Com a mudança de comando técnico da Canarinho, o elenco de Tite é apontado como um dos grandes favoritos pra Copa da Rússia, principalmente, por contar com destaques individuais de ponta, como Neymar, Marcelo, Gabriel Jesus, Willian e Phillippe Coutinho.

Porém, logo atrás, Alemanha, Espanha, França e Argentina também brigam. Os atuais campeões chegam com um time renovado, assim como a Fúria, que acabou perdendo o seu técnico às vésperas do Mundial. A jovem seleção francesa, puxada por Griezmann e Mbappé, deve incomodar. Fica a expectativa também pelos argentinos, que se classificaram aos trancos e barrancos e podem ter Messi disputando sua última Copa.

Correm por fora a Bélgica, de Hazard, De Bruyne e Lukaku, Portugal, do CR7, Uruguai, de Suárez e Cavani, Colômbia, de Falcao Garcia e James Rodriguez, e Inglaterra, de Harry Kane. Olho vidrado, pois a bola vai rolar!

A bola vai rolar na Rússia!
A bola vai rolar na Rússia!