SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – Nacer Chadli teve uma segunda-feira (2) iluminada. O meia entrou no lugar de Carrasco e fez o gol que deu a virada à Bélgica por 3 a 2 contra o Japão. Após a partida, que deu a classificação ao time europeu às quartas de final da Copa do Mundo, o jogador exaltou as trocas feitas por Roberto Martínez e o poder de reação mostrado por sua equipe.

“Nós fomos do inferno ao céu. As mudanças trouxeram uma nova dinâmica, e isso ajudou. Todos na Bélgica estão felizes agora”, disse o meia, ainda no gramado da Arena Rostov.

Mesmo assim, o jogador do West Bromwich admitiu que a Bélgica demorou para entrar no jogo. Acho que nós jogamos muito bem, nós todos demos tudo o que pudemos. Os jogos são um pouco cansativos, às vezes a gente demora para imprimir uma dinâmica. É por isso que nós trabalhamos muito para levantar o nível da equipe.”

Chadli falou que apesar do poder de reação, a Bélgica precisa fazer mais se quiser derrotar o Brasil nas quartas de final, na próxima sexta-feira (6). “O Brasil será diferente, teremos que jogar melhor. Caso contrário, será difícil para nós”, finalizou.