Utilizado pelo técnico Óscar Tabárez em três dos quatro jogos da seleção uruguaia na Copa do Mundo da Rússia, incluindo o deste sábado (30), na vitória por 2 a 1 sobre Portugal, pelas oitavas de final, o volante Carlos Sánchez afirmou desconhecer o interesse do Santos.

Em contrapartida, Carlos Sánchez, que atualmente defende o Monterrey, do México, não escondeu a sua vontade de atuar no Brasil.

“A verdade é que não sei nada. Só por comentários, redes sociais. Da minha parte, não sei. Estou focado aqui e depois veremos o que vai acontecer. Sei o que é o futebol brasileiro, gostaria de jogar no Brasil, mas estou tranquilo, pensando no Uruguai e adiante vemos o que vai passar”, afirmou o volante de 33 anos.

Carlos Sánchez disse não ter conversado com os dirigentes do clube mexicano sobre o interesse do Santos e afirmou que só irá resolver o seu futuro depois da participação do Uruguai na Copa do Mundo. O time está classificado para as quartas de final e irá encarar a França na próxima sexta-feira (6).

“Não escutei o presidente, meu representante não me disse nada. O comuniquei que estava voltado à seleção. Depois, sentamos para resolver isso. Sigo pensando aqui. Tenho contrato com Monterrey e gostaria de cumprir. Depois vejo meu futuro. Agradeço a confiança do presidente do Santos, mas depois veremos se chegamos a uma solução sobre o que poderá acontecer”, acrescentou.

Por fim, o volante uruguaio demonstrou-se um apaixonado por futebol, citou Pelé e Neymar e falou que sempre carrega o desejo de estar entre os melhores clubes.

“Conheço o Santos, claro, gosto de futebol, conheço todas as equipes do futebol. É mais conhecido por Pelé, Neymar, sempre um grande protagonista na Libertadores. É um clube grande. Sempre quero estar nos melhores. Mas não penso em clubes agora, penso no Uruguai”, completou.

O jogador tem como maior conquista em sua carreira a Copa Libertadores da América de 2015, quando defendia o River Plate, da Argentina. A experiência do jogador na competição continental pesou para que o Santos abrisse negociações.

Além de River Plate e Monterrey, Carlos Sánchez, que é destro e tem 1,70 m de altura, defendeu Liverpool-URU, Aragua-VEM, Godoy Cruz-ARG e Puebla-MEX.