Um dos maiores nomes do futebol mundial e responsável por levar a Argentina ao bicampeonato em 1986, Diego Maradona diz que a Copa do Mundo da Rússia começa neste sábado  (30) com os primeiros jogos das oitavas de final.

“Agora é quando começamos a jogar mano-a-mano. […] ninguém mais pode recuar, as equipes precisam atacar. Se não, no máximo, você vai para os pênaltis. Se você só se defende, acabam te ganhando facilmente.”

Em entrevista ao jornal espanhol Marca, Maradona disse acreditar que Messi ainda pode ser o grande nome desta Copa, destacou as atuações de Uruguai, México e Bélgica durante a primeira fase e apontou as dificuldades da Argentina em passar pelos franceses.

“[A França] é uma das candidatas a campeã. O goleiro, Lloris, nunca falha, nem na seleção nem em seu clube [Tottenham], e há Griezmann, etc.”

O ídolo argentino fez elogios a Cristiano Ronaldo, afirmando que, sem dúvidas, o português é um dos craques. Já Neymar, ele classifica como um “fenômeno”.

“Ainda falta alguma coisa, mas ele é. Se ele se recuperar da última lesão, poderemos desfrutar do melhor de Neymar na Rússia”, elogiou. 

Porém, fez ressalvas a fama de simulador do atacante brasileiro. “Ele tem que saber que, hoje, se você se joga, é um cartão amarelo, e o VAR [árbitro de vídeo] está lá.”

Maradona também rechaçou a ausência de autoridade de Jorge Sampaoli aos selecionados argentinos. Antes da vitória sobre a Nigéria, jornais argentinos afirmaram que o técnico teria perdido o comando para jogadores mais experientes. A informação foi negada pelo treinador.

“Não ter um líder para certas coisas não seria bom. Embora você também tenha que confiar em jogadores experientes, mas até eles precisam do técnico para lhes dizer algo, para liderar o caminho.”

Na última semana, Maradona criou um atrito com o Sérgio Ramos ao afirmar que ele não era um craque. Em resposta, o zagueiro da Espanha disse que Messi estava anos-luz à frente do ex-jogador. 

O bicampeão argentino pediu desculpas a Ramos, mas não mudou sua opinião sobre o nível futebolístico o zagueiro.

“Ele é um grande jogador, um grande capitão, ele pode se tornar um bom líder, como vemos no Real Madrid, mas, para mim, não é craque. […] eu não me importo com o que eles dizem, portanto, se Sérgio ficou ofendido, peço desculpas, mas ainda penso da mesma forma.”