O Egito levou um gol aos 48 minutos do segundo tempo e se despediu da Copa do Mundo com uma derrota por 2×1 para a Arábia Saudita nesta segunda-feira (25), em Volgogrado.

O badalado atacante Mohamed Salah abriu o placar logo aos 21 da etapa inicial, mas a equipe egípcia levou a virada, com gols de Al-Faraj e Al-Dawsari.

Já eliminadas no Grupo A, que também tem Uruguai e Rússia, as duas seleções jogaram só para cumprir tabela.

Os egípcios começaram melhor e poderiam ter ampliado ainda no primeiro tempo, mas os sauditas tomaram a iniciativa do jogo na segunda etapa e pressionaram até o final. Foram recompensados com um gol no último lance da partida.

Um dos destaques do confronto foi o goleiro egípcio Essam El-Hadary, que se tornou o mais velho jogador a atuar em um Mundial —nascido em 15 de janeiro de 1973, ele tem 45 anos, 5 meses e 10 dias.

O antigo recorde pertencia ao goleiro colombiano Faryd Mondragón, que jogou nos seis minutos finais do duelo entre Colômbia e Japão, na Copa do Mundo de 2014, só para bater a marca. Naquela data, ele tinha 43 anos e 3 dias.

Já El-Hadary, além de ser titular contra a Arábia Saudita, defendeu um pênalti, que havia sido marcado com auxílio do VAR (árbitro-assistente de vídeo, na sigla em inglês), aos 40min do primeiro tempo. O gol de empate dos sauditas, no entanto, saiu em outra penalidade, aos 50min da etapa inicial.

A Arábia Saudita terminou com três pontos, na terceira colocação do Grupo A, enquanto o Egito ficou na lanterna, zerado com três derrotas. Classificados, o Uruguai somou nove pontos e a Rússia, seis. Os sul-americanos venceram os russos por 3×0 no outro jogo da chave nesta segunda.