SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – Eliminado na fase de grupos da Copa do Mundo por conta do número de cartões, Senegal se mostrou descontente com o critério. A federação senegalesa de futebol (FSF) pediu à Fifa para rever a regra do “fair play” como forma de desempate entre as seleções na primeira fase do Mundial.

Os senegaleses citaram também a partida entre Japão e Polônia, pela última rodada do Grupo H. Os japoneses abdicaram de jogar na reta final da partida para não correr o risco de sofrer um gol ou levar um cartão, que colocaria Senegal nas oitavas de final da disputa.

“No futuro, a Fifa deve penalizar uma equipe que jogue dessa maneira. A Fifa adotou um novo sistema, mas a regra do fair play resolve todos os problemas? Depois do jogo, nada aconteceu com Japão ou Polônia. Deveria haver algum meio de penalizar jogadores, treinadores ou equipes por tal atitude”, disse o porta-voz da FSF, Kara Thioune, à BBC Sport.

Apesar da reclamação, a FSF afirmou que não está buscando nenhuma compensação na atual edição do Mundial, mas espera que outras equipes não sofram por conta disso nos próximos anos. A federação enviou cartas à entidade máxima do futebol para expor a insatisfação com o critério.

“A federação acredita que o Japão literalmente se recusou a jogar quando soube que a Colômbia havia acabado de marcar um gol contra o Senegal, o que é contrário aos princípios que regem o futebol”, escreveu.

“A federação ficou ainda mais chocada com o fato de o técnico do Japão não ter negado os fatos. Na coletiva de imprensa pós-jogo, ele chegou a confirmar que tomou a decisão de manipular o resultado ao manter o placar em 1 a 0”, acrescentou.

Senegal foi eliminado da Copa do Mundo após encerrar na terceira colocação do Grupo H, com o mesmo número de pontos, vitórias, gols marcados e salgo de gols que o Japão. O número de cartões, no entanto, favoreceu no desempate para os japoneses, que avançaram às oitavas de final.