Voltamos à nossa programação normal. Com o fim da Copa do Mundo, realizada na Rússia, saem de cena os craques do futebol mundial e voltam aos holofotes dos torcedores do Trio de Ferro todos os detalhes dos nossos clubes. A Tribuna do Paraná continuou acompanhando o dia a dia e todos os detalhes sobre Atlético, Coritiba e Paraná Clube nesse período, mas volta agora com mais força para ver nossos times “a todo vapor” entrando em campo e levando o nome do nosso Estado para todo o país.

A cada quatro anos, até o torcedor considerado mais “raiz”, que não abre mão de assistir um rachão sentado na arquibancada de cimento, para diante da televisão para apreciar a magia do maior evento esportivo do planeta. Neste ano, a França consagrou-se a grande campeã e colocou mais uma estrela em seu brasão. Veremos a Copa do Mundo somente daqui a quatro anos. Mas para aqueles que já se sentem órfãos de acompanhar com seriedade confrontos como Austrália e Peru ou Panamá e Tunísia, vale lembrar que a paixão pelo futebol é alimentada no dia a dia, com a dedicação e a torcida pelo nosso futebol local.

Ainda que nenhum dos três times de Curitiba esteja em uma situação confortável, é essa paixão que faz manter vivo o amor pelo futebol. Agora é hora de ver a bola rolar, não só do outro lado do mundo, mas bem ‘diante do nosso nariz’ e fazer valer nossa verdadeira torcida que nos acompanha nos 365 dias do ano.

No retorno aos gramados, muitos desafios aguardam nossos times até o fim da temporada. Furacão e Tricolor figuram na zona de rebaixamento da Série A, enquanto o Coritiba se distancia cada vez mais da zona de classificação da Série B. O trio terá que trabalhar para reverter a situação em que se encontra. Um cenário difícil, mas não impossível.

Furacão quer voltar a vencer no Brasileirão e deixar a incômoda zona de rebaixamento. Foto: Jonathan Campos
Furacão quer voltar a vencer no Brasileirão e deixar a incômoda zona de rebaixamento. Foto: Jonathan Campos

O Rubro-Negro volta aos gramados sem a certeza sobre quem de fato comandará o time até o fim de 2018. Isso porque depois de um período crítico, emendando uma sequência de resultados ruins, aconteceu a tão esperada demissão do técnico Fernando Diniz. Quem assumiu, às pressas, foi Tiago Nunes, campeão paranaense com o time de aspirantes. O interino terá duas rodadas para mostrar seu valor, pois do contrário, o Furacão deve ir ao mercado em busca de um novo comandante.

A primeira grande missão já será hoje mesmo. O Atlético tem a difícil tarefa de duelar com o Cruzeiro por uma vaga nas quartas de final da Copa do Brasil e terá que reverter o placar de 2×1, do jogo de ida. Não bastasse o desafio, o Rubro-Negro terá que reunir forças para sair da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro.

Confira a classificação completa do Brasileirão

Tricolor foi pra parada da Copa do Mundo mostrando evolução. Foto: Albari Rosa
Tricolor foi pra parada da Copa do Mundo mostrando evolução. Foto: Albari Rosa

O Paraná Clube precisará superar todas as barreiras que atualmente têm para conseguir terminar o ano ainda na elite do futebol nacional. Argumentos sobre o baixo orçamento que, apesar de verdadeiros, não são o único fator para que o time esteja nesta situação, devem ser superados. O técnico Rogério Micale precisará trabalhar com a realidade para lapidar e encontrar o que precisa dentro do próprio time.

Conquistando alguns resultados positivos na reta final antes da parada para a Copa e com concorrentes diretos ao rebaixamento tão próximos, é possível acreditar que jogando cada partida como uma final a permanência à Série A pode acontecer.

Coxa ainda busca a regularidade na Série B. Foto: Felipe Rosa
Coxa ainda busca a regularidade na Série B. Foto: Felipe Rosa

Já, o Coxa, o único que não teve pausa nesse período, continuará com o desafio de voltar à Série A. Esperava-se que o time, à essa altura do campeonato, já estivesse com tranquilidade no G4, mas o começo do ano com um treinador contestado, as vitórias que escaparam pelos dedos e a infeliz marca de zero vitórias fora de casa na competição, distanciaram o Alviverde da meta. O Coritiba é o oitavo na tabela, mas o baixo rendimento dos concorrentes faz com que ainda dê tempo, tranquilamente, para o time se firmar no pelotão de cima. Basta que o Verdão entenda que está na Série B e que o melhor futebol que pode existir ali é o dos três pontos somados.

Confira a classificação completa da Série B

Ainda que pareça desanimador acompanhar o Trio de Ferro na atual situação, ainda mais depois do que se viu na Rússia, será essa dedicação que fará com que o amor pelo futebol continue fazendo nosso peito pulsar de emoção. A Copa do Mundo dura um mês a cada quatro anos, mas a paixão por um time permanece por uma vida toda.