O técnico Osmar Loss foi se inspirar no passado para formar o time titular do Corinthians para o jogo desta quarta-feira, contra o Fluminense, no Maracanã. A decisão de manter na equipe o veterano Ralf, de 34 anos, representa a confiança na experiência e no currículo do volante em momento delicado para o treinador na temporada após duas derrotas seguidas no Campeonato Brasileiro.

Ralf retornou ao clube neste ano para ser um reserva de luxo. Porém, aos poucos, ele tem provado que ainda pode ser útil. A expectativa era o volante perder a vaga para o retorno de Douglas, recuperado de lesão, mas quem acabou saindo foi o até então titular absoluto, Gabriel. É a prova de que o jogador multicampeão ainda tem respaldo.

Campeão do Mundial de Clube e da Copa Libertadores pelo Corinthians em 2012, Ralf representa a segurança em meio à pressão. A experiência de quem vivenciou no time o vexame da surra para o Tolima, na Libertadores de 2011, à glória dos títulos, é o que Loss precisa para conter as críticas.

O treinador sofre questionamentos pelos resultados irregulares e já ganha menções públicas de apoio por parte dos atletas. “A pressão é inevitável. Sei o que se passa na cabeça dos torcedores porque também sou torcedor do Corinthians e já sofri muito antes de jogar aqui”, afirmou o lateral Danilo Avelar.

A mesma capacidade para desarmar, Ralf precisará ter para liderar um time acuado. Vários jogadores do Corinthians ainda não haviam passado por momentos de tanta pressão no clube, algo que o volante conhece bem. Por isso, ele procura passar tranquilidade aos companheiros.

Sua presença representa também um voto antecipado de confiança. Na semana que vem, contra o Colo-Colo, pela Libertadores, Ralf deve ser titular na vaga de Gabriel (suspenso) e tentará de novo comandar uma equipe que terá de suportar cobranças.

No treino de terça-feira, o técnico Osmar Loss armou o Corinthians com mais duas mudanças, além da saída de Gabriel, em comparação ao time que perdeu para o Grêmio. Deixam a equipe o goleiro Walter e o meia Araos para as entradas de Cássio e Clayson, respectivamente.