Um Dentinho fulminante e o time na briga direta por uma vaga nas semifinais do Campeonato Paulista. É assim que se resume o desfecho da vitória do Corinthians sobre o líder Guaratinguetá por 2 a 0, nesta tarde, no Estádio do Morumbi, em São Paulo. Uma vitória nada fácil por causa da melhor qualidade técnica do time do interior, dos erros do árbitro José Henrique de Carvalho, e da nova contusão de Acosta.

Primeiro, o lado positivo: o time alvinegro chega aos 23 pontos e está na zona de classificação das semifinais do Paulistão. É o quarto colocado, sem contar o jogo entre Santos e Noroeste. O Guará, mesmo com a derrota, fica nos 27 pontos e segue na primeira posição, já que ninguém pode ultrapassá-lo nesta rodada.

O árbitro falhou em dois lances, ainda no primeiro tempo, um a favor de cada lado. O primeiro foi aos 14 minutos, quando o auxiliar Carlos Alberto Furnari deu impedimento de Michael lançado e que havia feito o gol. Carlos Alberto lhe dava condição, na lateral direita.

O outro lance pode ser dividido em dois momentos, ambos com o volante Magal, do Guaratinguetá. Ele fez uma falta dura e teria recebido um cartão amarelo aos 10 minutos. Depois, recebeu outro aos 33 minutos, mas aí o árbitro alegou que o primeiro cartão foi para Jackson. A televisão, no replay, mostrou que Magal fez as duas faltas. E, no primeiro cartão, é confuso no momento de exibi-lo.

Este erro gerou protesto do técnico Mano Menezes, no intervalo. "Você é árbitro de primeira divisão, assim não dá, um erro grotesco demais", dizia. Aos repórteres, emendou: "Depois dizem que não dá para reclamar. Nós temos certeza que ele mostrou dois amarelos, depois expulsa um jogador nosso na lateral, assim é demais".