A comissão técnica do Corinthians vai se precaver e preparar tubos de oxigênio para os jogadores utilizarem antes, durante e após a partida desta quarta-feira, contra o Independiente Medellín, em Bogotá, pela Copa Libertadores. Isso porque a capital colombiana fica a uma altitude de 2.640 metros.

“Cheguei antes justamente para ver isso. Normalmente os estádios possuem oxigênio. Se aqui não tiver vamos procurar e nos precaver. Não podemos correr o risco de algum jogador passar mal”, disse o fisiologista Daniel Portella, que chegou nesta segunda-feira à Colômbia, no final do dia, junto com alguns seguranças e o auxiliar técnico e espião Mauro da Silva.

Portella explicou que uma altitude igual a de Bogotá não é tão crítica. “Lógico que faz uma diferença, porque estamos a 780 metros em São Paulo. Mas o problema mesmo é acima de 3 mil. A precaução é mais porque cada jogador tem uma característica e pode sentir”, afirmou Portella.

A delegação trouxe várias embalagens de água e isotônicos que serão consumidas pelos jogadores no reconhecimento do campo nesta terça-feira e na partida de quarta. O clube não trará comida, apesar de a nutricionista Cristine já ter passado a orientação ao hotel sobre o que os jogadores poderão consumir durante a estadia.

Já Mauro da Silva, o espião, explicou que espera um Independiente com toque de bola rápido e pelo chão, bem diferente do Racing uruguaio, que na estreia abusou das jogadas pelo alto.