Roberto de Andrade, diretor de futebol do Corinthians, disse que o clube não vai liberar Tite no caso de um eventual convite para treinar a seleção brasileira.

“Ele tem contrato até dezembro de 2013, não há cláusula de liberação para a seleção e não vamos liberar. Estou falando pelo Corinthians, não estou falando pelo Tite”, disse.

Ele citou a saída de Mano Menezes do Corinthians para a seleção, em 2010. “Pelo fato de a CBF já ter feito isso uma vez quando chamou o Mano e o Corinthians abriu mão. Isso sempre gera um custo ao clube, e a questão nem é financeira. Eu garanto a vocês que o Corinthians não vai abrir mão disso”, afirmou o dirigente.

“É difícil ficar falando em cima de hipóteses, existem outros nomes que podem ser chamados. O nome do Tite, assim como do Muricy, foi colocado pela opinião pública, pela imprensa. Não foi colocado pela CBF”, acrescentou.

O diretor corintiano disse que foi dele o veto à entrevista coletiva de Tite, que aconteceria hoje. “Não falo pelo Tite, dou a palavra oficial do Corinthians aqui. Ao mesmo tempo, acho que colocar um treinador para falar sobre a demissão super recente de outro treinador é muito deselegante. Tenho certeza de que o Tite não gostaria de se manifestar.”

Antes da entrevista de Andrade, ainda durante o treino de hoje, Tite foi questionado por um repórter da rádio Jovem Pan se aceitaria o cargo de treinador da seleção brasileira. O técnico corintiano sorriu e disse: “Que Papai do céu me ilumine”.