São Paulo – Para tentar amenizar o clima de medo que ainda domina o Parque São Jorge, a diretoria do Corinthians está perto de anunciar uma contratação de “peso” como desejavam as lideranças do time e os torcedores. O vice-presidente Antônio Roque Citadini confirmou ontem que telefonou para Ricardinho, na Inglaterra. E a resposta do jogador foi a mais animadora possível. A declaração do vice-presidente foi o contraponto para a neurose da diretoria corintiana, que passou a não divulgar sequer os horários dos treinos dos atletas temendo atentados de torcedores.

“Ele disse que está pronto para voltar ao Parque São Jorge. Isso é ótimo”, deixou escapar Citadini.

Empolgado com a conversa com Ricardinho, o dirigente declarou a companheiros de diretoria que irá enfrentar a briga jurídica com o São Paulo. Citadini promete desconsiderar a cláusula especial da rescisão do meia com o clube do Morumbi.

De acordo com o combinado, Ricardinho terá de pagar uma multa de US$ 1 milhão se atuar em um clube paulista antes de janeiro de 2005. O dirigente do Corinthians acredita ser inconstitucional e ilegal essa cláusula.

Ricardinho está se sentindo humilhado na Inglaterra. Ele não tem sequer ficado no banco de reservas do Midlesbrough. Empresários estavam tratando de sua transferência para o futebol japonês. Mas como o Corinthians decidiu contratá-lo, ele está revendo a sua posição de atuar no Oriente.

Ricardinho tem as portas abertas no Corinthians. “Não houve traição na sua ida para o São Paulo. Não temos raiva dele” cansou de repetir Citadini durante todo o ano passado.