São Paulo (AE) – ?É campeão, é campeão…?. A torcida corintiana canta a conquista do campeonato brasileiro há várias rodadas. Hoje, no duelo das 16 horas, no Morumbi, diante da Ponte Preta, os jogadores da equipe têm a primeira grande chance de também poder soltar o grito.

Caso vença os campineiros e o Internacional tropece no Sul, diante do Palmeiras, o Corinthians conquista seu quarto título com uma rodada de antecedência.

A ordem no líder do Nacional, entretanto, é esquecer o único adversário na luta pelo título e pensar, apenas, em bater a Ponte. Nada de ficar olhando para o placar eletrônico acompanhando os gols na rodada. Antônio Lopes armou o time bastante ofensivo e exige um gol com menos de 15 minutos. Quer forçar o adversário, em desvantagem, a sair do seu campo e, assim, poder ampliar o saldo de gols em relação ao Inter, hoje de quatro gols. Tudo porque, caso os gaúchos ganhem, este seria o critério que definiria o campeão em caso de igualdade de pontos e vitórias na rodada final. ?Vamos jogar bastante ofensivos, pressionar?, enfatizou Lopes. Tanto é verdade que trocou o volante Bruno Octávio pelo habilidoso e rápido meia Elton.

O treinador está encantado com as jogadas do baixinho de 1,56 metro. E acredita, com ele, criar inúmeras chances de gols e chegar a uma boa vitória e, se possível, com tranqüilidade.

Sucesso, na matemática de Lopes, é movimentação + velocidade = triunfo. ?Ambos estão inseridos na nossa equipe. Ela tem boa posse de bola e, em todos os jogos, cria muitas chances de gols. E se fizermos jogadas longas com a defesa da Ponte saindo…?

Lopes, inclusive, não se importa com o fato de o time vir de dois gols anotados nos últimos três jogos. ?Ficaria preocupado se não tivéssemos criando. E só contra o Inter foram 25 jogadas de gol. Uma hora acabamos fazendo os gols?.

O zagueiro Betão assina embaixo. ?Contra o Santos, foram poucas chances de gols, mas quase todas as bolas entraram?, observou, sobre a goleada por 7 a 1 na qual o time teve nove oportunidades.

Assim como todos do elenco – exceção do goleiro Fábio Costa e do técnico Antônio Lopes – o zagueiro busca o inédito título. E tem motivação de sobra. ?Muitos veteranos estão se aposentando sem conquistar um brasileiro. Para a gente, que é jovem, daria uma bela guinada na carreira?. Para isso, esquece até das dores musculares. ?O desgaste é superado neste momento?, disse. Sendo campeão, o Corinthians ficará com a taça em definitivo.

Ponte Preta promete forte marcação no Morumbi

Campinas (AE) – Lutando contra o rebaixamento, a Ponte Preta sabe que roubar um ponto do Corinthians, hoje, pelas circunstâncias, seria um grande negócio. O técnico interino Nenê Santana, que substituiu a Estevam Soares, demitido no começo da semana, não esconde que a prioridade máxima será a marcação.

A Ponte terá apenas Izaías no ataque, e promete se defender com até oito jogadores dentro da variação dos esquemas 4-5-1 e 3-6-1, este último utilizado por Osvaldo Alvarez, o Vadão, com sucesso no primeiro turno, quando o time ficou oito rodadas na liderança.

Dentro desta retranca testada nos treinamentos, o volante Ângelo atuará fixo, praticamente como um terceiro zagueiro, auxiliado na marcação por outros dois volantes: Éverton e André Silva. Os laterais também terão, em princípio, a obrigação de marcar. ?É claro que não ficarão só lá atrás, mas a ordem é para apoiar somente com a bola nos pés e na boa?, confirma o técnico. A esperança é de que o sistema de marcação funcione para que depois seja colocada em prática a segunda parte do plano: os contra-ataques. O segredo, segundo Nenê, é ter o ?controle de bola, não errar os passes e imprimir velocidade?.

As dúvidas

Embora Nenê Santana tenha deixado dúvidas nas laterais e outra no meio-de-campo, o time está praticamente definido. Rissut e Luciano Baiano brigam pela vaga na lateral direita, mas a defesa terá a presença de Preto no lugar de Rafael Santos, vetado com dores no joelho. Bruno deve ser confirmado na lateral esquerda, deixando Iran como opção no banco. No meio-de-campo, Piá entra para dividir com Élson a responsabilidade de armar as jogadas para Izaías, o único atacante. O meia Rafael Ueta ficará como opção para o segundo tempo, provavelmente na vaga de Piá, que, sem ritmo de jogo, não tem fôlego para suportar os 90 minutos.

Se a disposição da diretoria em usar um mistão não se confirmou, na prática o time terá vários desfalques. O atacante Tico e o zagueiro Rafael Santos estão machucados, enquanto os meias Danilo e Evando cumprirão suspensão automática por terem sido expulsos na humilhante goleada para o Palmeiras, por 6 a 2. Se os planos da Ponte Preta não funcionarem, as esperanças ficarão para a última rodada, quando receberá o Brasiliense, no Majestoso.

CAMPEONATO BRASILEIRO
41ª RODADA
CORINTHIANS x PONTE PRETA

CORINTHIANS: Fábio Costa; Eduardo, Marinho, Betão e Gustavo Nery; Marcelo Mattos, Rosinei, Élton e Carlos Alberto; Tevez e Nilmar. Técnico: Antônio Lopes.

PONTE PRETA: Lauro; Rissut, Galeano, Preto e Bruno; Ângelo, Éverton, André Silva, Élson e Piá; Izaías. Técnico: Nenê Santana.

SÚMULA
Local: Morumbi (São Paulo).
Horário: 16h.
Árbitro: Elvécio Zequetto (MS).
Assistentes: Paulo César Pereira de Freitas (MS) e Alécio Aparecido Lezzo (MS).