O Corinthians vai se escorar em exemplos do passado para “virar a chave” da eliminação no Campeonato Paulista e retomar com força a participação na Copa Libertadores. O elenco viaja na tarde desta segunda-feira para Montevidéu, onde na quarta faz a primeira partida das oitavas de final contra o Nacional, e espera se recuperar rápido da “dor da perda” da vaga na decisão do Paulista para o Audax.

O técnico Tite, na realidade, não está muito preocupado com o aspecto emocional do grupo, embora após a partida de sábado contra o time de Osasco alguns jogadores tenham demonstrado, e admitido, abatimento. “Nós temos reagido bem às adversidades, é assim que tem de ser”, considera Tite. O volante Elias, um dos líderes do time, concorda: “É preciso mudar a chavinha, pois quarta-feira é pauleira, mas há males que vêm para bem.”

Elias é um dos remanescentes da campanha no Campeonato Paulista do ano passado quando o Corinthians, igualmente invicto, caiu nas semifinais, também em Itaquera e nos pênaltis, após um empate por 2 a 2 com o Palmeiras.

Na temporada de 2015, inclusive, logo depois o Corinthians viveu outra eliminação, esta ainda mais doída: foi na Libertadores, diante do pequeno Guarany, do Paraguai. “No ano passado, mudamos a chavinha, com duas eliminações, e fomos para o Brasileiro em busca do título”, recordou Elias.

O elenco corintiano mudou bastante este ano, mas Tite considera que os jogadores que chegaram recentemente já absorveram a mentalidade e adquiriram a confiança necessária para recuperar-se sem grandes traumas de um revés.

Ele não pretende fazer mudanças profundas na equipe para o jogo no acanhado Estádio Grand Parque Central. Uma possibilidade, porém, é a entrada de Rodriguinho no lugar de Guilherme, que jogou apenas o primeiro tempo contra o Audax e foi muito mal. Já Rodriguinho foi um dos principais responsáveis pela evolução do time na etapa final.

O Corinthians fez a terceira melhor campanha da primeira fase e, por isso, decidira em casa a vaga nas quartas de final, no dia 4 de maio.

O zagueiro Yago, flagrado no antidoping depois do jogo com o Santos pelo Paulista por ter usado um anti-inflamatório com a substância betametazona, tem condições de jogar. O resultado da contraprova será divulgado pela FPF apenas em 2 de maio e além disso o jogador tomou o remédio por orientação do departamento médico do Corinthians. Mesmo se a contraprova confirmar o doping, há grande chance de Yago ser absolvido.