Foto: Valquir Aureliano/Tribuna

Paulo Miranda poderá
flutuar mais no campo.

A queda para a Série B parece estar fazendo bem ao Coritiba. Assim como outras grandes equipes do País, o que era motivo para chorar está servindo para uma reavaliação completa do clube. Palmeiras, Botafogo, Grêmio e Fluminense mostraram que a Segundona não é o fim do mundo e o Alviverde segue o mesmo caminho. Profissionalização de todos os setores, planejamento bem feito e o time jogando bem apontam para um futuro promissor para o Coxa.

?O Coritiba vem de um processo de reestruturação completa há cinco anos, desde o início da gestão do presidente Giovani Gionédis?, pondera André Ribeiro, vice-presidente do Alviverde. Para ele, o clube está apenas dando um prosseguimento ao que já vinha sendo feito. ?Estamos num processo contínuo, de montagem de times competitivos e baratos?, aponta o dirigente. No entanto, ele admite que a queda acelerou esse processo. ?A queda força a isso, mas é uma evolução do dia-a-dia do clube?, diz Ribeiro.

E o aprendizado tem sido grande e, aparentemente, proveitoso. Depois dos pacotões do início da temporada e do começo da Série B, o departamento de futebol ganha contornos mais modernos e produtivos. Tanto que esta semana o clube anunciou a contratação do competente olheiro Wil Rodrigues para referendar os próximos reforços. Aliado a isso, a direção também confirmou a montagem de um time B para a disputa do Paranaense. ?Poderemos colocar alguns jogadores para entrarem em ritmo e avaliar a qualidade de cada um. Essa primeira fase do estadual também pode valer uma vaga na Copa do Brasil?, justifica o vice-presidente.

Se já fazia parte do planejamento dos atuais dirigentes, a Segundona deslanchou a transformação do clube, que mantém a volta para a Série A como prioridade número 1 na temporada. ?Aquilo que estava planejado está sendo feito?, garante. A própria competição tem servido de lição e as viagens longas estão sendo feitas com dois dias de antecedência para evitar um desgaste a mais nos jogadores. ?O mais importante é que o time está jogando bem?, vibra o vice-presidente coxa. Para o futuro, o clube ainda quer construir um alojamento para 100 atletas no CT da Graciosa e um hotel para a concentração do elenco principal num terreno adquirido em Quatro Barras.

Coxa estará mais soltinho em Recife

O Coritiba viaja hoje à tarde para Recife praticamente definido para enfrentar o Náutico-PE, às 16 horas de sábado, nos Aflitos. O técnico Paulo Bonamigo deverá manter a mesma formação que venceu o Vila Nova-GO na rodada anterior do campeonato da Série B, a Segundona do Brasileiro. A não ser que Bonamigo opte por um time mais defensivo no trabalho de amanhã em Pernambuco. ?A estrutura da equipe foi mantida, coloquei o Peruíbe na segunda parte para dar um pouco mais de consistência?, analisa o treinador.

O treinador aproveitou a ausência de Cristian (que estava gripado) para testar Caio na equipe principal, que ficou apenas meio período porque também estava resfriado. Depois disso, a mudança principal, com Peruíbe no lugar de Caio e com Egídio formando na zaga como líbero. ?Soltamos mais o Paulo Miranda para jogar e a gente vê o funcionamento e a sistemática mais evoluída?, justifica. A tendência, portanto, é a equipe manter o 4-4-2 com ou sem Egídio recuando para a defesa, mas o 3-5-2 com Peruíbe no meio também poderá ser usado.

Além de Cristian e Caio, que não estavam em plenas condições físicas, o lateral-esquerdo Ricardinho também não treinou ontem. Ele estava com dores musculares e fez trabalho à parte. No entanto, não preocupa para o confronto contra o Náutico. Quem não vai nem viajar é o zagueiro Índio, opção para uma eventual mudança tática. O defensor está com tendinite traumática na coxa esquerda e foi vetado pelo departamento médico. (RS)