O Coritiba pode até negar o favoritismo no campeonato paranaense deste ano, mas a goleada por 7 a 1 em cima do Prudentópolis, ontem à tarde, no Couto Pereira, deu mostras de que, de fato, o time é forte candidato ao título.

Bem entrosado – o Alviverde manteve praticamente o mesmo grupo que fez boa campanha no Brasileirão – o time começou a partida ditando um ritmo forte. Já na primeira investida contra o adversário, o primeiro gol. Aos 2 minutos, Adriano recebeu pela esquerda e cruzou com perfeição para Marcel completar de cabeça. A bola ainda resvalou na defesa do Prude antes de entrar.

O gol marcado no início do jogo, segundo observou o técnico Bonamigo, deu muita confiança à equipe. “Até sair o primeiro é mais difícil. Depois, a ansiedade passa”.

Mais tranquilo em campo, o Coritiba começou a trabalhar a bola no meio e passou a protagonizar jogadas emocionantes. Aos 13 minutos, o ímpeto traduziu-se em gol. Marcel recebeu pela esquerda, avançou e chutou cruzado. Antes que a bola saísse pela linha de fundo, Edu Sales apareceu para marcar de carrinho.

O Prude esboçou uma reação aos 18 minutos, quando Márcio recebeu cruzamento de Sandrinho e subiu sozinho entre os zagueiros, diminuindo a diferença. No entanto, a alegria durou pouco. Aos 38 minutos, o meia Felipe recebeu o segundo cartão amarelo e, na sequência, o vermelho, deixando o Prude com dez em campo.

Se em condições iguais o Coritiba já mandava no jogo, com um homem a mais a situação do time interiorano ficou mais complicada. Nas poucas chances que atacava, o Prude acabava abrindo espaços para o Coxa, que não perdoou.

Aos 45 minutos, Tcheco cobrou falta frontal e o goleiro Giovani engoliu um tremendo frango, colaborando na marcação do terceiro gol alviverde.

Goleada

Para tentar restabelecer a defesa, o técnico Jorge Anadon sacou o meia Rodrigo e colocou o volante Ricardo. No entanto, a ação não foi suficiente para segurar o time alviverde.

Aos 11 minutos, após uma cobrança de escanteio, Lima saiu da apatia que apresentava e marcou de cabeça. Sem tempo para respirar, a defesa do Prude teve que engolir mais um, três minutos depois. Edu Sales tocou de calcanhar para a conclusão tranquila de Marcel.

O técnico Jorge Anadon queimou mais duas substituições e nem assim conseguiu diminuir a pressão do Coritiba. Pior. Minutos depois, o zagueiro Beto se contundiu e teve que jogar no sacrifício até o final do jogo.

Mesmo sem Adriano, que deixou o gramado contundido, o Alviverde continuou criando e aos 22 minutos, Tcheco marcou mais um, desta vez com a bola rolando, da entrada da área. Quando todos já imaginavam o final da partida em 6 a 1, o estreante Marco Brito, que entrou no lugar de Adriano, recebeu do ex-companheiro de Fluminense Roberto Brum e marcou de voleio, fechando a fatura com um “gol carioca”.

Jogadores comemoram, mas com pés no chão

Como não poderia deixar de ser, o vestiário do Coritiba era uma festa só após a goleada da estréia. Ainda mais que esta foi a primeira vitória do alviverde em cima do adversário, em quatro partidas disputadas até hoje. Para a diretoria Alviverde, mais do que uma goleada na estréia, a vitória sobre o Prude teve um “gostinho de vingança” pelo episódio envolvendo o atacante Liédson, que deixou o Cori para defender o Flamengo no Brasileirão do ano passado, por determinação do Prude, clube detentor de 70% dos direitos federativos do atleta.

Mas apesar da euforia, os jogadores mantiveram os pés no chão. “Não tem como não comemorar. Mas foi só a primeira batalha. Ganhamos força para a próxima partida, mas ainda tem muito chão pela frente”, afirmou o volante Roberto Brum.

O meia Tcheco, que durante o Brasileirão do ano passado tornou-se um dos grandes ídolos do time, acredita que a vitória não dá a condição de favorito – afinal, outras equipes também venceram – mas dá um ânimo maior. “É ótimo começar com o pé direito. O peso de uma boa estréia acabou. Cumprimos o nosso papel”.

Para o treinador, a goleada não escondeu que a equipe ainda tem muito a crescer e alguns ajustes a fazer. “Foi ótimo, mas ainda temos pontos a ajustar. A defesa ainda precisa se entrosar melhor para não haver indecisão em determinadas jogadas”, disse. Com o bom rendimento do ataque formado por Marcel e Edu Sales, o treinador ganhou uma doce “dor-de-cabeça”, agora que a contratação de Marco Brito finalmente foi concretizada. “O ataque estreou muito bem e o Marco também foi bem, só que se juntou ao grupo agora. De qualquer forma, é bom saber que temos um setor ofensivo forte”, disse.

Para o compromisso contra o Tubarão, a dúvida passa a ser o lateral-esquerdo Adriano, que sentiu fortes dores na coxa esquerda. Hoje ele será submetido a exames mais detalhados.