Alexandre Fávaro está confirmado no time.

Aquiraz, Ceará – O Coritiba está definido para enfrentar o Fortaleza. A última tentativa de Edu Sales jogar foi frustrada, e o atacante deve ficar – se tanto – como opção no banco de reservas. Alexandre Fávaro, que participou do final do coletivo, é a principal novidade alviverde para o jogo de amanhã, ficando para o momento do jogo apenas a opção tática que será utilizada.

Edu Sales fez o último esforço na primeira metade do treino, que tinha como principal objetivo ajustar o trabalho ofensivo da equipe. “Senti que o time precisava se aproximar mais, buscar mais jogadas pelas laterais”, explica Bonamigo, que pediu que não fossem feitas imagens desse trabalho tático, irritando os funcionários da TV Verdes Mares (afiliada da Rede Globo), que foi proibida de captar imagens.

Nessa parte, Edu participou – e parecia não sentir nada. Como Bonamigo pretendia contar com ele, para explorar sua velocidade no Castelão, era certo que o atacante jogaria. Mas quando o trabalho se encaminhava para a reta final, o jogador deixou o coletivo. “Ele falou comigo e disse que sentia algumas dores na coxa”, revela o treinador do Cori.

O atacante tem sintomas de pubalgia, e os médicos do clube reconhecem que ele precisará ficar um bom tempo parado para recuperação. Tempo que Bonamigo não tem. “Eu não posso ficar esperando até a hora do jogo para recuperar alguém”, resume o técnico. Dessa forma, entra Alexandre Fávaro, que já treinara na quinta como titular. “Deve ser esse o time que vai para o jogo”, avisa o treinador.

Era a alternativa já pensada, tanto que o “Príncipe” foi chamado para um treino ?secreto? de cobranças de faltas e escanteios, realizado na manhã de ontem, no estádio Armando Nogueira (dentro do resort em que o Coxa está concentrado). Além dele, estavam Lira, Marcel e os goleiros Fernando e Douglas. “É uma coisa importante, a gente precisa sempre ter esse tipo de jogada pronta”, explica Bonamigo.

Com o time pronto, fica apenas a expectativa para a definição do sistema de jogo. Ontem, o técnico formou a equipe no 4-4-2, e é possível que jogue assim contra o tricolor cearense. “Dessa forma, a gente ocupa os lados do campo e mantém a força dos laterais”, explica Bonamigo.

Um grande desafio para os alviverdes

Aquiraz

(CE) – O Coritiba não conseguiu vencer um adversário desmotivado. O Coritiba vive uma crise técnica. Os jogadores estão sem vontade de jogar. Enfrentar o Fortaleza é um desafio difícil demais para a equipe. Ouviu-se muito essas frases durante a semana – até natural, para um time que conquistou quatro pontos dos últimos 21 disputados (aproveitamento de apenas 19,05%). Mas, ainda assim, o Coxa depende de seus próprios esforços, e é isso que o técnico Paulo Bonamigo tenta passar para os jogadores antes do jogo de amanhã, no estádio Castelão.

Pela campanha que fez, o Cori conseguiu chegar à reta final do campeonato brasileiro com uma margem relativamente segura. Perdeu muitos pontos, mas mesmo assim enfrenta Fortaleza e Criciúma com a necessidade de vencer as duas partidas para se garantir na Libertadores sem precisar contar com as combinações de outros resultados. “É o fruto da nossa ótima participação até agora. Ninguém pode esquecer desse trabalho”, afirma o secretário Domingos Moro.

Para o técnico Paulo Bonamigo, esse é o primeiro ponto favorável para o Coritiba. “Nós estamos lutando por uma vaga na Libertadores, e essa já é uma grande vantagem que temos”, comenta. Tal situação foi usada nas conversas com os jogadores desde a derrota para o Vitória, e dessa vez parece que todo o elenco entendeu. “O grupo foi conscientizado da importância que esses dois jogos têm”, diz o capitão Reginaldo Nascimento.

A segunda vantagem é o fato de jogar apenas com os próprios resultados. “Não podemos esquecer isso. Os outros times é que tem que se preocupar com a gente”, adverte o centroavante Marcel.