Vai ter protesto contra o técnico Antônio Lopes? Vai. Vai ter torcida organizada fora do Couto Pereira? Vai. Vai ter torcedor criticando o Tuta? Vai. Vai ter reforço vendo seus futuros companheiros? Vai. Vai ter esquema 3-5-2? Vai. Vai ser o último jogo do Coritiba em casa nesta temporada? Vai.

Apesar de tudo isso, desse clima que segue tenso fora de campo, a partida das 16h entre Coritiba e Goiás é das mais esvaziadas da história recente do clube. Além de o time ter poucas chances de classificação para a Copa Sul-Americana e da pressão intermitente contra o Delegado, as atenções da cidade e do público estará voltada para São Januário. E é provável que mesmo aqueles que irão ao Alto da Glória ficarão mais atentos a Vasco x Atlético. Entretanto, Lopes exige do Coritiba uma boa atuação e mais uma vitória.

É a última partida alviverde jogando em casa neste ano e último jogo antes da reforma completa no gramado, que implica na interdição do Couto Pereira, devendo ser reaberto apenas no campeonato brasileiro. "Até por isto temos que mostrar serviço. Estamos interessados nesta vaga da sul-americana, e dentro de casa precisamos provar que estamos vivendo um bom momento e que vamos terminar a competição de maneira digna", comenta o goleiro Douglas.

Fora das quatro linhas, também não há mudanças. A torcida organizada Império Alviverde já anunciou oficialmente o segundo boicote de sua história; assim como na partida com o Vitória, eles ficarão fora do Alto da Glória, tentando arrebanhar mais torcedores para protestar contra a permanência de Antônio Lopes no comando técnico alviverde. Em tom jocoso, o presidente Giovani Gionédis afirmou semana passada que a partida desta tarde seria "a última chance para vaiar o Antônio Lopes". Gionédis foi outra figura da semana, ao ser um dos protagonistas do "racha" do Clube dos 13.

Dentro de campo, a exigência é de total movimentação. "A rigor, só há a orientação para o Roberto Brum ficar mais à frente dos zagueiros", explica o técnico Antônio Lopes. De resto, Rafinha, Ricardo, Luís Carlos Capixaba e Ataliba têm a ordem de abrir espaços. "O Lopes me passou para jogar solto", resume o ala-esquerdo. "Da forma que treinamos, deu muito certo", ressalta Capixaba.

Isto faz com que o Coxa seja uma equipe mais rápida.

Vencendo, o Coritiba encerra sua participação em casa sem dar motivos para críticas. Mas, por mais que aconteça uma vitória, ou mesmo uma goleada, muitos torcedores não estarão preocupados com o que acontecer, já que estarão mais interessados em "secar" o rival.

CAMPEONATO BRASILEIRO
CORITIBA x GOIÁS

Coritiba: Douglas; Miranda, Flávio e Vágner; Rafinha, Ataliba. Roberto Brum, Luís Carlos Capixaba e Ricardo; Alemão e Tuta. Técnico: Antônio Lopes

Goiás: Harlei; Cléber, Renato e Asprilla; Paulo Baier, Josué, Simão, Jorge Mutt e Jadílson; Somália e Rodrigo Tabata. Técnico: Celso Roth

Súmula

Local: Couto Pereira

Horário: 16h

Árbitro: Wagner Tardelli Azevedo (FIFA-RJ)

Assistentes: Hilton Moutinho Rodrigues (FIFA-RJ) e Marco Venício Barros Sá Freire (RJ)