Adriano foi um dos destaques
do Coxa ontem. Mas, na visão
do técnico, ele estava cansado.

Nem sempre “água mole em pedra dura tanto bate até que fura’. O ditado cai por terra quando no gol do time adversário encontra-se um jogador em dia iluminado como foi o caso do goleito Sérgio, do Palmeiras. O arqueiro palmeirense fez verdadeiros milagres e conseguiu manter o empate sem gols no confronto dos Alviverdes realizado ontem à noite entre Coritiba e Palmeiras, no Couto Pereira. Decepcionada com o placar final do jogo, a torcida fez o time deixar o gramado sob apupos. Afinal, futebol é bola na rede…

Sem poder contar com o meia Reginaldo Vital, que deu sangue novo ao meio-de-campo, o técnico Antônio Lopes optou por dar nova chance ao meia Cléber – a outra opção seria entrar com Alemão, deixando o time com três atacantes.

Cléber até começou o jogo se movimentando bem, mas, talvez por querer tanto mostrar serviço, correu mais do que podia para alguém que está sem ritmo de jogo e caiu de produção. Sem a criatividade na meia, a solução ofensiva do Coritiba passou a ser pelo setor esquerdo, através dos pés de Adriano. Foi dele o lance mais perigoso do primeiro tempo, quando a trave direita salvou o Palmeiras. Pela direita, Rafinha, que voltava de um longo período “fora de combate’, pouco aparecia e ainda dava espaço para os contra-ataques adversários, através de Lúcio. Justamente por isso, Lopes o sacou no intervalo, dando passagem a Jucemar.

Insistente, Lopes ainda deu mais um tempo para Cléber tentar se recuperar, mas a cada toque na bola, a torcida estremecia o Couto Pereira com vaias. Ricardinho ganhou a chance.

Se Adriano já se destacava, com a entrada de Ricardinho na meia-esquerda o Palmeiras recuou para a defesa e se segurou como pôde para evitar um revés, contando, é claro, com o “paredão” Sérgio. Quando o gol já estava ficando maduro, aconteceu o improvável: Adriano foi sacado da equipe para a entrada de Alemão. A decisão do treinador rendeu a ele um coro de “burro” por parte da torcida. Mais tarde, Lopes justificou a mudança alegando cansaço de Adriano. Sem o talento do ala, o time perdeu um pouco do brilho, mas continuou na pressão, que acabou sendo em vão.

Com o empate, o Coritiba chegou a 45 pontos e se mantém na 11.ª colocação. O próximo compromisso do Coxa é contra o São Caetano, no sábado, no Anacleto Campanella. Para este jogo, a equipe não poderá contar com Aristizábal e Flávio, que receberam o terceiro cartão amarelo.

CAMPEONATO BRASILEIRO
31.ª Rodada
Local: Couto Pereira
Árbitro: Wilson de Souza Mendonça (FIFA-PE)
Assistentes: Erick Bartholomeu Bandeira (PE) e Luciano José Coelho Cruz (PE)
Cartões amarelos: Kahê, Aristizábal, Leonardo e Flávio.
Público total: 15.194
Renda: R$ 166.332,50

Coritiba 0 x 0 Palmeiras

Coritiba: Fernando; Rafinha (Jucemar). Flávio, Miranda e Adriano (Alemão); Ataliba, Roberto Brum, Capixaba e Cléber (Ricardinho); Tuta e Aristizábal. Técnico: Antônio Lopes

Palmeiras: Sérgio; Baiano, Daniel, Nen (Leonardo) e Lúcio; Marcinho, Magrão, Élson (Adãozinho) e Corrêa; Osmar e Kahê (Ricardinho). Técnico: Estevam Soares