Um empate que vale muito. Depois de sair atrás em um pênalti inexistente, o Coritiba arrancou o 1×1 com o Cruzeiro, nesta quinta-feira (12), na Arena Independência, em Belo Horizonte, no jogo de ida da decisão do Campeonato Brasileiro sub-20. Com o resultado, o Coxa joga por um empate na finalíssima, que acontece na sexta-feira da próxima semana (20), às 16h30, no Couto Pereira.

O Coritiba começou o jogo da mesma forma da semifinal contra o São Paulo – com três zagueiros, liberando mais Léo Andrade pela esquerda e tentando evitar a pressão do Cruzeiro. Com revelações como Nickson (filho de Jackson, aquele meia que jogou na Raposa e no Coxa) e Thonny Anderson, além de Nonoca, recrutado do time profissional, o time mineiro rondava bastante a área alviverde, mas sem ameaçar.

Já os visitantes levavam perigo. Aos 19 minutos, Marcos Moser e Léo Andrade quase abriram o placar. Aos 28, polêmica – Léo Andrade ganhou de Cacá e foi derrubado, mas o árbitro mineiro Wanderson Alves de Souza mandou o jogo seguir. Era um momento já de superioridade alviverde, melhor posicionado em campo e correndo pouco risco na defesa. Na velocidade, o Cori levava perigo com seus atacantes – aos 40, Índio cruzou e Lucas Soares se antecipou em Mosquito para evitar o gol.

O segundo tempo começou com susto para o Coxa. Logo a dois minutos, Nonoca arrancou e chutou de média distância, obrigando Arthur a fazer uma ótima defesa. Logo depois, outra polêmica: após o cruzamento da direita, Romércio raspou na bola de cabeça e a assistente Fernanda Antunes viu um toque de mão que não existiu, apontando para o árbitro, que marcou pênalti. Aos 6 minutos, Marcelo cobrou e abriu o placar. O lance revoltou os alviverdes, a ponto de Sandro Forner ser excluído da partida por conta das reclamações.

O Coritiba mudou de postura, partindo mais para o ataque. Mas o nervosismo atrapalhava, e a equipe ficava exposta aos contra-ataques dos donos da casa. Aos 23 minutos, Cacá ficou de frente para o gol, mas chutou longe. Comandando o time, o auxiliar Mozart (sim, o meia dos anos 1990 e 2000) apostou em Romeu e Pablo nos lugares de Matheus Bueno e Índio. O Coxa tinha mais posse de bola, mas não criava. Era a vez da Raposa administrar o jogo.

Quando teve tranquilidade, o Verdão chegou ao empate. Aos 37 minutos, Léo Andrade lançou Mosquito, que dominou e cruzou para Thalisson Kelven aparecer como elemento surpresa e deixar tudo igual – resultado importantíssimo, por conta do gol fora de casa valer na decisão.

Ficha técnica

BRASILEIRO SUB-20
Final – Jogo de ida

CRUZEIRO 1×1 CORITIBA

Cruzeiro
Victor Eudes; Lucas Soares, Cacá, Gustavo Rissi e Raphinha; Eduardo, Nonoca, Marcelo (Vitinho), Nickson (João Luís) e Thonny Anderson (Cesinha); Jonata.
Técnico: Emerson Ávila

Coritiba
Arthur; Thalisson Kelven, Fernando Dinis e Romércio; Marcos Moser, Vítor Carvalho, Júlio Rusch, Matheus Bueno (Romeu) e Léo Andrade; Gustavo Mosquito e Índio (Pablo).
Técnico: Sandro Forner

Local: Independência (Belo Horizonte-MG)
Árbitro: Wanderson Alves de Souza (MG)
Assistentes: Ricardo Junio de Souza (MG) e Fernanda Nândrea Gomes Antunes (MG)
Gols: Marcelo 6 e Thalisson Kelven 37 do 2º
Cartões amarelos: Thonny Anderson (CRU); Marcos Moser, Thalisson Kelven, Júlio Rusch (CFC)