Ataliba ainda conta com
melhora de rendimento.

Com o 0x0 no jogo de domingo contra o Palmeiras, o Coritiba perdeu a oitava chance de encostar nos líderes. A conta surge pelo fato de o Coxa ter deixado a vitória escapar de suas mãos por oito vezes no Alto da Glória. Já são, no total, vinte pontos perdidos apenas no Couto Pereira, que fazem a boa campanha fora de casa ficar em segundo plano. E as chances de título e principalmente de conquista de uma das vagas para a Libertadores vão ficando mais longe.

A possibilidade de alcançar Santos e Atlético é, hoje, puramente matemática. Faltando quinze rodadas para o final do campeonato brasileiro, o Coxa está treze pontos atrás dos dois líderes – para chegar neles, seria necessária uma improvável seqüência de resultados combinados. O objetivo mais claro do Cori é tentar chegar na terceira colocação, para conseguir a última vaga para a Copa Libertadores, ou a quarta, para entrar na seletiva da competição continental.

Mesmo assim, a situação é complicada. “Nós só estamos a sete pontos do terceiro lugar”, diz o volante Ataliba. E também do quarto, pois São Caetano (o adversário de sábado, às 16h, no Anacleto Campanella) e Goiás estão empatados com 52 pontos – a vantagem do Azulão é no saldo de gols. Para se reaproximar, portanto, é fundamental uma vitória na partida do final de semana. “Não podemos mais perder pontos em confrontos diretos, como esse jogo do Palmeiras”, adverte o goleiro Fernando.

Pela dificuldade que se avizinha – depois do São Caetano, o Coxa enfrenta o desesperado Grêmio e o clássico com o Paraná – faz com que a possibilidade de classificação alviverde para a Libertadores seja reduzida para os matemáticos. O professor gaúcho Tristão Garcia, em seu sítio Infobola, dá 3% de chances para o Cori; já o sítio Chance de Gol, de especialistas da USP (Universidade de São Paulo) dá 4,6%.

Reclamação

Os jogadores do Coritiba ainda reclamam da arbitragem de Wilson de Souza Mendonça. “Ele nos amarrou o tempo inteiro”, diz Ataliba, que depois explica o que é “amarrar” um time. “Ele retardava todas as cobranças de faltas, não deixava a gente cobrar o lateral com rapidez e não marcava uma falta no nosso ataque”, reclama. Mesmo o técnico Antônio Lopes, que não gosta de comentar o assunto, demonstra indignação. “Eu não falo dessas coisas, mas espero que a diretoria cuide desse assunto”, resume o Delegado.

Coxa alerta sobre estelionatário

O Coritiba acabou envolvido em mais um problema comum no futebol brasileiro. Um homem está aliciando jovens no interior de São Paulo usando o nome do clube para tirar dinheiro dos garotos interessados em jogar futebol. A diretoria alviverde, sem saber o que fazer, tenta divulgar ao máximo a informação – para garantir a honestidade e para alertar os pais.

O estelionatário, que posa de “olheiro” coxa, convida os jovens para vir a Curitiba treinar no CT da Graciosa. Seriam testes, e segundo o elemento essa avaliação custaria trinta reais. Só que o caso é pior: ele estaria cobrando mais duzentos reais para custear as ‘viagens’ dos garotos – e, pelo que se conta, dele próprio. Depois de recolher o dinheiro, o cidadão desaparece.

Em nota oficial, o a direção alviverde informa que “não possui pessoas autorizadas a fazer avaliação de atletas ou cobrar por esse tipo de encaminhamento. Essa é uma função exclusiva do Departamento de Futebol do Coritiba”. Completando a nota, o aviso para os interessados em fazer testes no Coxa: “basta ligar para (41) 362-3234 e falar com o Departamento de Futebol Amador”.

Alteração

O professor de educação física Eros Mattoso é o novo coordenador das categorias de base do Coritiba. Especialista na área, ele substitui Cláudio Marques, que retornou para o posto de observador tático da comissão técnica profissional – a pedido de Antônio Lopes.