Laterais: Tesser e Adriano
voltam a formar as duas laterais.

O Coritiba terá que exorcizar seus fantasmas na noite de hoje. Após perder para o Atlético em pleno Couto Pereira – e de virada -, deixando escapar uma invencibilidade que chegava a sete jogos no campeonato brasileiro, o Coxa agora vem de duas derrotas seguidas, e pressionado a conseguir um bom resultado esta noite (20h30), contra o São Paulo, no Morumbi. A vantagem é que o adversário também vive momento difícil, e o ?contexto? favorece os alviverdes.

Sim, porque o tricolor paulista é um time em permanente ebulição. O técnico Cuca nunca teve a aprovação total dos dirigentes, e o empate de sábado com o Guarani fez aumentar a onda de críticas. “A gente sabe que o jogo do final de semana deixou o São Paulo um pouco mais longe da liderança. Por isso, o jogo será uma decisão para eles”, comenta o volante Ataliba, um dos destaques do time nos últimos jogos.

Sabendo disso, o Cori quer aproveitar a pressão sobre os adversários, hoje na sétima posição, com 45 pontos. “Se formos inteligentes, temos todas as condições de buscar uma vitória”, resume o centroavante Tuta, que volta à equipe depois de cumprir suspensão. “Os primeiros vinte minutos serão decisivos. Se resistirmos à pressão deles, a torcida vai começar a se irritar, e vamos ter mais uma vantagem”, completa Roberto Brum.

Além disso, o Coritiba (que tem a quinta melhor campanha do brasileiro fora de casa) volta a atuar em um gramado de boas condições. “Nós sempre tivemos boas atuações nesse tipo de partida. E o Morumbi nos dá a possibilidade de jogar com mais tranqüilidade”, afirma o meia Luís Carlos Capixaba. Tuta, no entanto, faz um alerta. “Não sei se teve um show ou coisa parecida por lá. Só que, ao assistir a partida do São Paulo contra o Guarani, percebi que o gramado está um pouco irregular. Espero que eles tenham dado uma ajeitada”, adverte.

Em contrapartida, a torcida espera um time mais ?ajeitado? em campo. “Nós ficamos abalados, é natural. Mas todos já esqueceram o Atletiba e estamos pensando exclusivamente no São Paulo”, diz o zagueiro Miranda, que não aceita sequer citação do jogo decisivo de sábado contra o São Caetano, pela Copa Sul-Americana. “Agora o jeito é pensar a cada jogo”, resume.

E, para o técnico Antônio Lopes, um dos segredos da vitória será encarar o São Paulo como um rival direto. “Se vencermos, nós diminuímos a diferença até eles para quatro pontos. E voltamos a ficar perto da liderança”, afirma o treinador, que exige força do time no Morumbi. “Nós não vamos ficar jogando na defesa. Nosso objetivo é a vitória”, finaliza o Delegado.

Tesser ganha mais uma chance no time

Quando chegou ao Coritiba, em janeiro, o técnico Antônio Lopes avisou que não faria ?loucuras? no comando alviverde. Em resumo, tal declaração significaria a escassez de improvisações, que só aconteceriam quando extremamente necessárias. Partindo desta premissa, o Delegado confirmou o lateral de ofício Tesser como titular contra o São Paulo, esta noite. E quer toda atenção do mundo – e mais um pouco – nas bolas paradas.

Claro que ele não é, hoje, a primeira opção. Tesser só entra em campo porque Rafinha e Jucemar (que estão lesionados) não poderão entrar em campo. Para completar, Pepo, que foi o lateral contra o São Caetano, também está fora. Lopes chegou a testar Tiago Soler na função, mas no treino tático de ontem decidiu por Tesser. “É melhor ter um especialista na função”, resume o treinador coxa.

Resolvido quem jogaria na direita, Antônio Lopes partiu para o que mais o preocupava. O treino tático foi exclusivamente dedicado às jogadas de bola parada. Natural, já que os últimos três gols sofridos pelo Coritiba saíram em faltas – o de Anderson Lima para o São Caetano, e os de Fernandinho e Washington para o Atlético, que se originaram de cobranças.

Para Lopes, cada jogador precisa fazer sua parte. “Neste tipo de jogada, quem estiver na marcação terá que cumprir seu papel, porque não podemos mais errar”, avisa o treinador. Ele sabe que o São Paulo tem bons cobradores (como Cicinho e Danilo), e por isso exige atenção. “Acho que aprendemos da pior forma possível. Mas serve para nos dar a certeza que não dá mais para falhar”, finaliza o goleiro Fernando.

Marca

Se fizer um gol esta noite, o Coritiba chega à marca de setecentos na história do campeonato brasileiro – desde a primeira participação alviverde, em 1971. Até agora, foram 699 gols em 604 partidas, com uma média de 1,16 gol por jogo.

CAMPEONATO BRASILEIRO
28ª rodada
Em campo
Local: Morumbi (São Paulo-SP)
Horário: 20h30
Árbitro: Leonardo Gaciba da Silva (RS)
Assistentes: Villi Tissot (RS) e José Javel Silveira (RS)
TV: NET, pay-per-view, canal 76, tel.: 331-8686 e 4004-7777

São Paulo x Coritiba

São Paulo
Rogério Ceni; Cicinho, Fabão, Rodrigo e Fábio Santos; Alê, César Sampaio, Danilo e Vélber; Grafite e Diego Tardelli. Técnico: Cuca

Coritiba
Fernando; Tesser, Flávio, Miranda e Adriano; Ataliba, Roberto Brum, Reginaldo Vital e Luís Carlos Capixaba; Tuta e Aristizábal. Técnico: Antônio Lopes