Nessas horas, a ajuda de Todos os Santos não pode ser dispensada. O Coritiba entra em campo pela terceira vez no campeonato brasileiro hoje, às 16h, contra o Bahia, na Fonte Nova, e precisa de um bom resultado por vários fatores. Além de servir como reabilitação para a equipe que perdeu para a Ponte Preta na quarta, uma vitória ou mesmo um empate motiva time e torcida para a difícil seqüência que vem pela frente – enfrentar em casa o Flamengo de Liédson, o Corinthians de Guilherme e o Fluminense de Romário.
Não que o Bahia seja um adversário fácil – muito pelo contrário. ?Não podemos considerar apenas o resultado de quarta como sendo o normal deles?, diz o volante Reginaldo Nascimento, referindo-se à goleada aplicada pelo Atlético no meio de semana. Nascimento tem conhecimento de causa – jogou no Bahia em 2000, e foi sondado para voltar a Salvador antes do Brasileiro. ?É uma honra ser procurado pelo Bahia, mas tinha um compromisso com o Coritiba?, afirma.
Hoje, Reginaldo é o ponto-chave da defesa do Coritiba, jogando como terceiro zagueiro – transformando o 4-4-2 do papel em um 3-5-2. ?Eu achei estranho no início, mas depois acostumei?, conta o jogador, que se aproxima dos duzentos jogos com a camisa alviverde. O técnico Paulo Bonamigo usa o volante como zagueiro para reforçar a marcação e melhorar a criatividade no meio-campo -atos díspares à primeira vista, mas que podem ser complementares.
Assim, Bonamigo pode usar Tcheco ao lado de Roberto Brum e Lúcio Flávio. Por sinal, ele acredita que esses três jogadores rendam ainda mais esta tarde. ?O entrosamento que eles adquirem jogo a jogo vai ajudar?, diz o técnico alviverde, que sabe da importância que Lúcio tem no esquema da equipe – e quanto o time perde quando ele não joga bem.
Apesar das más atuações de Lúcio Flávio, Bonamigo nem pensa em tirá-lo da equipe – como antecipado, o treinador coloca em campo a mesma equipe que jogou na quarta-feira, à exceção de Danilo, que ocupa a vaga de Picolli, que cumpre suspensão automática.
?É bobagem mexer toda hora. E mais, gostei do rendimento da equipe, principalmente no primeiro tempo?, explica Bonamigo, que mesmo assim testou uma nova dupla de ataque na sexta, com Genílson e Alexandre Fávaro. Mas foi um teste com outros motivos, diz o técnico. Ele quer que todos (titulares e reservas) lembrem-se que a equipe não pode desperdiçar tantas oportunidades.

Bahia quer dar o ?troco?

Salvador (AE) – Depois de ter sido goleado pelo Atlético-PR, na última rodada do Campeonato Brasileiro, o Bahia pretende dar o troco em outra equipe paranaense, o Coritiba.
?Nós precisamos vencer?, avisou o técnico Bobô, que ficou muito abatido com derrota sofrida para o Atlético. Ele disse que a goleada foi um resultado ?atípico? e acha que o Bahia tem ?potencial? a ser explorado. ?Espero que isso comece no jogo contra o Coritiba.?
Convocado para a seleção brasileira Sub-20, o lateral-direito Daniel desfalcará a equipe hoje. Mantena entra no seu lugar. Bobô deve modificar também o posicionamento dos jogadores de meio-de-campo, que renderam pouco na partida passada.