Ficou com o Coritiba o primeiro clássico Atletiba da temporada de 2019. Com as polêmicas deixadas de lado, o maior duelo do futebol paranaense teve um pouco de tudo e, em campo, o time coxa-branca levou a melhor, venceu o Athletico por 2×1, na noite desta quarta-feira (30), na Arena da Baixada, chegou aos 8 pontos e manteve a liderança do grupo B do Campeonato Paranaense. O Furacão, por sua vez, com seu segundo tropeço em casa no Estadual, permaneceu com quatro pontos e na quarta colocação do grupo A. Situações distintas faltando duas rodadas para o final do primeiro turno do torneio.

+  Veja como foi o jogo lance a lance

No clássico em que a polêmica tomou conta dos bastidores nos últimos dias, o Coritiba foi melhor no primeiro tempo. O time coxa-branca, na verdade, que entrou em campo com frases de protesto na sua camisa diante do descumprimento do regulamento do Athletico que não autorizou a entrada do torcedor alviverde na Arena da Baixada, mostrou estar mais a fim de jogo do que os donos da casa.

Disputa firme entre Giovanni e Anderson Plata. Foto: Albari Rosa
Disputa firme entre Giovanni e Anderson Plata. Foto: Albari Rosa

O duelo começou equilibrado. Desde os primeiros minutos, o jovem atacante Igor Jesus, titular pela primeira vez do time alviverde, travou um bom duelo com o zagueiro Robson Bambu. E foi no primeiro vacilo do defensor rubro-negro que saiu o gol do Coritiba. Depois do escanteio cobrado por Sávio, a defesa atleticana falhou e Igor Jesus, livre na área, cabeceou no canto e fez o primeiro do Coxa.

O gol desestabilizou o Athletico. O Coritiba, por sua vez, mais organizado, seguiu melhor e ampliou cinco minutos mais tarde. Em outra jogada de Igor Jesus, Iago Dias arriscou da entrada da área, não deu chances para o goleiro Léo e fez o segundo. A boa vantagem no placar, no entanto, foi prejudicada um pouco na sequência. A equipe alviverde, com os nervos a flor da pele por tudo o que aconteceu nos dias que antecederam o clássico, perdeu João Vitor, expulso, aos 27 minutos, depois de o volante deixar o pé em uma dividida com Marquinho.

Mesmo com um jogador a menos, o Coritiba, que tinha a marcação bem encaixada e não havia dado espaços para o Athletico, seguiu tomando poucos sustos. O técnico Argel Fucks não mexeu na equipe e Kady passou a recompor o sistema de marcação. O Furacão, por sua vez, mais nervoso diante da impaciência do torcedor atleticano, seguiu com problemas no seu setor de criação e conseguiu chegar somente na reta final do primeiro tempo em uma bola parada. Depois da falta cobrada por Matheus Anjos, Erick tentou e Wilson garantiu a vitória parcial do Coxa no primeiro tempo.

Com Bruno Rodrigues no lugar de Reginaldo, o Athletico voltou do intervalo mais ofensivo. E foi isso o que se viu em campo. O Furacão se abriu e foi com tudo para o ataque. O time rubro-negro, no entanto, insistia nas jogadas pelos lados e não tinha objetividade para furar o bloqueio defensivo do Coritiba. Ao Coxa, com um homem a menos, restava apenas se defender e administrar a vitória.

Com mais volume de jogo, o Athletico conseguiu o primeiro gol aos 21 minutos. Depois de Kady errar na saída de bola, a bola chegou até Anderson Plata e, na tentativa do cruzamento, a bola bateu no braço de Iago Dias. Penalidade marcada e que Bergson cobrou com perfeição para colocar o Furacão de vez no jogo.

Bergson marcou o gol do Athletico. Foto: Albari Rosa
Bergson marcou o gol do Athletico. Foto: Albari Rosa

O Coritiba, que apenas se defendia, saiu um pouco de trás e quase marcou o terceiro na sequência. Em boa jogada de Igor Jesus, Kady recebeu livre, poderia servir Iago Dias na cara do gol, mas tentou o chute e errou o alvo. Depois do susto, o Athletico voltou a pressionar e passou a jogar todo no ataque. O Furacão pressionava por todos os lados, mas esbarrava na boa postura defensiva da equipe alviverde, especialmente do zagueiro Alan Costa, que foi impecável na partida.

Com o passar do tempo, o Athletico, com um homem a mais, se atirou de vez para cima do Coritiba. O time coxa-branca, nos erros do Furacão, até conseguia os contra-ataques, mas faltava tranquilidade para “matar” o jogo. Nathan teve a chance, aos 35, de fazer o terceiro, mas parou na defesa do Léo. Na resposta do Furacão, Bergson, que passou a se destacar depois do gol marcado, serviu Bruno Rodrigues, mas dentro da área, o centroavante chutou mal e desperdiçou boa chance de empatar a partida.

+ Confira a tabela de classificação do Paranaense

A última tentativa do técnico Rafael Guanaes foi a entrada do atacante Bill na vaga do zagueiro Éder. E quase deu certo. Aos 41, depois do cruzamento da direita, Bill subiu livre e jogou fora a última chance de marcar no Atletiba. O Coritiba, então, que jogou com um a menos durante quase toda a partida, comemorou a vitória na casa do rival e a recuperação no Estadual.

Ficha técnica

CAMPEONATO PARANAENSE
Taça Barcímio Sicupira – 4ª Rodada

Athletico 1×2 Coritiba 

Athletico
Léo; Reginaldo (Bruno Rodrigues), Éder (Bill), Robson Bambu e Nicolas; Erick, Marquinho (Bruno Leite) e Matheus Anjos; João Pedro, Anderson Plata e Bergson.
Técnico: Rafael Guanaes

Coritiba
Wilson; Sávio (Geovane), Alan Costa, Sabino e Fabiano; João Vitor, Vitor Carvalho, Giovanni (Matheus Bueno) e Kady; Igor Jesus (Nathan) e Iago Dias.
Técnico: Argel Fucks

Local: Arena da Baixada
Árbitro: Leonardo Sigari Zanon
Assistentes: Felipe Gustavo Schmidt e Heitor Alex Eurich
Gols: Igor Jesus, 16, Iago Dias, 21 do 1º; Bergson, 21 do 2º
Cartões amarelos: Éder, Anderson Plata (CAP); Iago Dias, Igor Jesus (COR)
Cartão vermelho: João Vitor (COR)
Público total: 9.616
Renda: R$ 227.850,00

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!