Nem com milagre. O Coritiba não terá o lateral Ceará na partida contra o Juventude. Os médicos já falam em tentar liberar o jogador não para o jogo de amanhã, mas para enfrentar o Cruzeiro, na próxima quarta.

Com isso, o técnico Paulo Bonamigo praticamente confirmou a equipe com o retorno de Danilo à zaga, e a volta do usual esquema 3-5-2 de todo o primeiro turno.

O departamento médico alviverde se preocupa com o estado do lateral. “O tornozelo está muito inchado, e não sabemos quando ele será liberado”, confessa o chefe do DM Lúcio Ernlund. Antes mesmo que Bonamigo pensasse na hipótese de contar com Ceará – o treinador queria esperar até o treino de hoje, o médico vetou o jogador, e espera que ele reúna condições para enfrentar o Figueirense, no próximo domingo.

Com isso, o treinador coxa já trabalhou ontem com as hipóteses que restavam após o veto médico. A primeira delas já fora testada na quarta, com Maurinho no lugar de Ceará e a mesma formatação do jogo contra o Flamengo. Mas Bonamigo não usará essa formação, porque ele acha que o lateral reserva não tem o mesmo poder de marcação e pode ter problemas para marcar os grandalhões Geufer e Taílson, que formam a dupla de ataque do Juventude.

Daí, a melhor opção é retomar a formação original, mesmo que a contragosto. “Eu não queria mexer muito, o time jogou bem no domingo, mas às vezes é necessário”, comenta Bonamigo, que parte para o pragmatismo. “Vamos jogar da forma que mais sabemos. A equipe atua assim há um bom tempo, e não há problemas de atuação”, completa o técnico alviverde.

Dessa forma, Danilo volta ao time titular e Jackson será mais uma vez o ala-direito. No meio, Tcheco fica como segundo volante, deixando para Souza a responsabilidade de armar as jogadas. “Eu vou jogar do mesmo jeito do ano passado, quando me destaquei”, afirma o armador. Paulo Bonamigo oficializa esta manhã o Coritiba com Fernando; Danilo, Odvan e Reginaldo Nascimento; Roberto Brum, Tcheco, Jackson, Adriano e Souza; Edu Sales e Marcel.

Meia ou ala, não importa para Jackson

Ele já nem agüenta falar muito nisso. “Lá vem aquelas perguntas…”, brinca Jackson ao encarar os repórteres. Mas ele sabe que é inevitável. Seja qual for a formação tática do Coritiba amanhã, o armador vai jogar pelo lado direito, e desse posicionamento surge a dúvida: será que ele não fica sub-aproveitado jogando como ala?

Para Bonamigo, essa é uma questão já respondida – e nem por ele, mas pelas atuações de Jackson nos últimos jogos. Contra o Internacional, o meia sofreu com a marcação e apareceu pouco; contra o Flamengo, ele dinamizou o setor direito do ataque mesmo ainda lutando para recuperar a forma. Uma das intenções da mudança de estratégia era liberá-lo da forte marcação do meio-campo, criando mais espaços.

No jogo de amanhã contra o Juventude, Jackson vai jogar pela direita, com Danilo jogando – o que é quase certo – ou não. Se Maurinho jogar (hipótese remotíssima) como um terceiro zagueiro, o armador será o ?médio-ala?, como Bonamigo gosta de dizer. Se Danilo for escalado para recompor o sistema defensivo, o meia é ?jogado? ainda mais para a direita.

Para Jackson, isso não importa. “Eu estou me sentindo bem em jogar. O professor Bonamigo sabe onde eu posso render, e ele me coloca em posições que possa ajudar a equipe”, comenta o jogador. E, mesmo com as críticas, ele até gosta de jogar pela direita, pelo motivo citado acima: mesmo que tenha que marcar, Jackson não é tão marcado, e pode progredir com a bola dominada, acelerando o jogo coxa.