Foto: Valquir Aureliano

Após marcar gols em três jogos seguidos, Keirrison ganha uma vaga de titular no ataque alviverde.

Será que agora vai? Há dois meses sem ganhar longe do Couto Pereira, o Coritiba encara a Portuguesa tentando mostrar que aprendeu a jogar fora do mesmo jeito que em casa. O pijama, pelo menos, foi na bagagem da delegação, que vai passar a semana inteira em São Paulo devido ao confronto de hoje na capital e o de sábado, contra o Marília. Para azar do técnico René Simões, o meia Marlos sofreu uma lesão no tornozelo direito e nem viajou. Já no ataque as novidades são Ânderson Gomes e Keirrison. O confronto está programado para as 20h30, no Canindé.

?A gente tem que buscar resultados fora. Se você pegar as duas séries vê que é difícil ganhar fora, mas não é impossível e tem muita gente ganhando?, aponta o treinador alviverde. De acordo com ele, o São Paulo deu o exemplo contra o Grêmio de como se deve jogar longe de seus domínios. ?O Marília também tem ganho muitos jogos fora de casa e está na hora do Coritiba mostrar sua força também longe de casa?, destaca. Na Segundona, o Coxa ganhou apenas do Ituano e do Remo fora e René não estava no comando de nenhum deles.

Além de tentar sua primeira vitória longe do Alto da Glória, René já começa a projetar uma folga na tabela. ?Muita água vai rolar por baixo dessa ponte e uma vitória é importante para te dar uma gordura, porque temos jogado no Couto com a faca no pescoço?, analisa. E, se ganhar da Lusa, a pressão diminui um pouco na sequência dos jogos e permite até um eventual tropeço. ?A gente sabe que às vezes acontece um desastre, um momento ruim e, se você tiver alguma gordura isso é bom?, diz.

Para hoje à noite, René não terá o goleiro Edson Bastos, suspenso, além do atacante Gustavo e do meia Marlos, lesionados. No gol entra Vanderlei e na frente, Keirrison ganha uma oportunidade após marcar gols em três jogos seguidos entrando na segunda etapa. Na meia, a surpresa. Ontem, o departamento médico acabou vetanto o camisa 10, que será substituído por Rodrigo Mancha. Marlos tomou uma pancada de Túlio no treinamento e sentiu uma entorse no tornozelo direito. A recuperação levará cerca de 20 dias.

Após a partida contra a Lusa, a delegação faz um trabalho regenerativo amanhã mesmo em São Paulo e já segue para Marília. Na quinta e na sexta-feira, o time trabalha num campo a ser definido para enfrentar o MAC, na penúltima rodada do primeiro turno.

Will Rodrigues está fora do Coritiba

O olheiro Will Rodrigues não trabalha mais no Coritiba. Insatisfeito com o desenrolar de seu trabalho, ele se reuniu ontem com o presidente Giovani Gionédis e pediu para sair. Apesar de ninguém confirmar o que aconteceu, o profissional estaria insatisfeito com a coordenação de futebol, comandada por João Carlos Vialle. Como as contratações não estavam mais passando por Will, sua presença no Alto da Glória acabou esvaziada. A diretoria do Alviverde estaria, inclusive, acertando a chegada de mais três reforços.

Um volante, um meia e um atacante seriam as posições carentes pedidas pelo técnico René Simões aos dirigentes. Tudo isso combinado diretamente entre Gionédis, Vialle e Simões, sem a presença do olheiro, contratado justamente para isso. Após formar uma dupla de sucesso com Vavá, no Paraná Clube, recebeu proposta para fazer o mesmo trabalho no Coxa. Acertou em atletas como o volante Túlio, mas errou em vários outros já dispensados ou pouco aproveitados por René.

Ânderson Gomes na área

Com Gustavo machucado e Henrique Dias barrado, o Coritiba terá uma nova dupla de ataque para enfrentar a Portuguesa. Sorte de Ânderson Gomes, o escolhido por René Simões para atuar no ataque. ?Eu acho que é um bom jogador e acho que ele tem que aproveitar. Conversei muito com ele e acho que ele tem que mostrar o futebol que ele mostrou na época do Bonamigo. É um jogador que tem um potencial excelente e vai ter que colocar dentro de campo?, justifica o técnico René Simões.

Se o treinador falou isso tudo, Gomes agradece. ?Ele deu confiança, deu liberdade para eu poder movimentar bem e tentar fazer os gols, que é o mais importante para ajudar o Coritiba a conseguir a vitória?, avalia o jogador, que não joga desde o empate contra o Santo André. Uma situação que ficou comum este ano após ser o artilheiro da equipe no ano passado. ?Todo jogador passa por isso (contusões), então tem que ter a cabeça no lugar e trabalhar por que, no devido momento, terei a oportunidade de novo?, destaca.

Na visão dele, apesar de ter que disputar lugar lugar com Gustavo, Hugo, Keirrison, Chumbinho, Ígor e Henrique Dias, a concorrência não aumentou. ?No ano passado havia grandes atacantes e este ano também. Isso é bom para o grupo, para que a gente se fortaleça e consiga subir, que é o mais importante?, finaliza. No ano passado, ele marcou oito gols em 21 jogos, enquanto este ano ainda está em branco, após quatro partidas.

CAMPEONATO BRASILEIRO – SÉRIE B

17.ª Rodada

Portuguesa x Coritiba

Portuguesa

Tiago; Bruno Rodrigo, Marco Aurélio e Halisson; Wilton Goiano, Dias, Preto e Leonardo; Vaguinho, Clayton e Diogo.

Técnico: Vágner Benazzi.

Coritiba

Edson Bastos; Henrique, Ânderson Lima e Leandro; Pedro Ken, Rodrigo Mancha, Careca, Caíco e Douglas Silva; Ânderson Gomes e Keirrison.

Técnico: René Simões.

Local: Canindé (São Paulo)

Horário: 20h30

Árbitro: Willian Marcelo Souza Nery (RJ)

Assistentes: Marco Aurélio dos Santos Pessanha (RJ) e Ronaldo Cristino Kenupp (RJ)