Roberto Brum e Ceará saem atrás
de Flávio Luis e no marcador
na largada do segundo tempo.

O Internacional foi o grande vencedor da primeira rodada do segundo turno. Ao superar o Coritiba (1×0), no Beira-Rio, ontem à tarde, o time gaúcho subiu para a quarta colocação e ultrapassou o Alviverde na classificação do campeonato brasileiro. O time de Paulo Bonamigo – mesmo ocupando a 5.ª posição – segue sem conquista de pontos sobre os seus concorrentes diretos. No primeiro turno, fora derrotado por Cruzeiro, Santos, São Paulo e o próprio Inter.

Com muita transpiração e pouca qualidade técnica, o jogo marcou pela disputa tática entre os treinadores e pela marcação implacável no setor de meio-de-campo. Jogando em casa e com o apoio de seu torcedor – presente em bom número apesar do horário de 15 horas – o Internacional tomou a iniciativa, mas sem eficiência nas finalizações. O Coritiba chegou a marcar um gol com Danilo, aos 14 minutos, mas foi anotado impedimento do ataque coxa. Pouco depois, o colorado chegou com perigo na tabela entre Nilmar e Élder Granja. No chute cruzado do centroavante, Fernando defendeu.

O Coritiba não conseguia articular jogadas ofensivas, tendo em Jackson uma peça nula. O Internacional aumentou o ritmo e quase induziu Roberto Brum ao erro. Após um chute “prensado” de Jefferson Feijão, o meia quase fez contra, aos 37 minutos. No último lance do primeiro tempo, Feijão não esperava a “furada” de Odvan e arrematou muito mal.

A fase final começou no mesmo ritmo e logo aos 3 minutos, Flávio cobrou falta com perigo. Em jogada individual, Tcheco invadiu a área gaúcha, aos 5 minutos, e caiu ante o bloqueio de dois marcadores. O meia reclamou pênalti, mas o árbitro carioca Luís Antônio Silva Santos sinalizou que ele “forçou a passagem”. No melhor momento do Coritiba na partida, Tcheco quase surpreendeu Clemer em uma cobrança precisa de falta, mas o goleiro espalmou.

Também de bola parada, o Inter chegou com perigo, mas Fernando fez a defesa parcial. Na sobra, Edu Silva foi lançado pela direita e, deslocado, cruzou rasteiro. Tcheco falhou ao tentar o corte e a bola sobrou “limpa” para Nilmar, que só desviou para abrir o placar, aos 14 minutos. Falha de um lado, deslize do outro. O zagueiro Vinícius só não fez gol contra devido à defesa de puro reflexo de Clemer. A partir daí, Bonamigo tentou tornar seu time mais agressivo, trocando o zagueiro Danilo pelo meia Souza.

O Inter, com mais espaços, quase ampliou. Jefferson Feijão teve a visão ofuscada pelo sol e “furou” ao tentar arremate de primeira após cruzamento de Élder Granja.

Bona vê mesmos erros no jogo: falta de ousadia

De novo não faltou luta, de novo não faltou vontade. Mas o técnico Paulo Bonamigo detectou o principal problema na derrota do Coritiba para o Internacional em Porto Alegre. Faltou jogar mais à frente, buscar o gol principalmente no primeiro tempo. Sem ousadia, o Cori virou presa da pressão dos gaúchos no segundo tempo, e quando tentou atacar era tarde.

Nem mesmo as costumeiras falhas da defesa colorada foram aproveitadas – a bobeada de Clemer na cobrança do escanteio e o gol contra que Vinícius ?tentou? fazer. “No primeiro tempo, a equipe teve um bom comportamento tático, marcou forte, mas precisava ter mais agressividade”, comentou Bonamigo. Tal ?atitude? também faltou no segundo tempo, ao menos até o gol de Nilmar.

Depois, Bonamigo abdicou do setor defensivo (“estava certo, era a hora de atacar”, disse Danilo, que foi sacado) e colocou Lima e Souza. “Não surtiu efeito porque nós não marcamos. Mas pelo menos o time demonstrou força e conseguiu chegar mais perto do gol do Internacional”, avaliou o treinador coxa.

Além da carência ofensiva, o Coritiba não conseguiu articular jogadas no meio até a entrada de Souza. Isso porque Tcheco, severamente marcado, e Jackson, em má jornada, não tinham conseguido chegar à frente. “O caso do Jackson precisa ser olhado com cuidado. Ele ainda está se recuperando de uma lesão que o deixou um mês parado, e nós temos que ter calma. Acho que no segundo tempo ele já rendeu mais”, analisou Bonamigo.

No final das contas, o Coritiba perdeu a sétima partida no campeonato brasileiro, caindo para a quinta posição. E deixou seis pontos escaparem e seguirem para o Beira-Rio – no primeiro turno, o time gaúcho venceu em pleno Alto da Glória. “Nós precisávamos buscar essa recuperação e não conseguimos. Agora, vamos ter que retomar pontos em outros jogos”, disse Paulo Bonamigo, consciente de que o Cori não pode mais errar.

Reabilitação

A próxima partida coxa acontece no domingo, às 16h, contra o Flamengo, no Couto Pereira. Os ingressos para a partida já estão à venda, nos preços praticados desde o início do Brasileiro: arquibancada, R$ 15,00; cadeira inferior, R$ 30,00; cadeira superior, R$ 50,00; menores de 12 anos, maiores de 60 e estudantes, R$ 7,50. Os postos de venda também são os de sempre: Couto Pereira, lojas do clube nos shoppings Total e Cidade, lojas do Candeias no shopping Curitiba e na Rua Marechal Deodoro, lojas Alfaluz nas ruas Carlos de Carvalho e Tibagi e nas lojas Trio de Ferro no shopping Estação e em Santa Felicidade.