Volante não está regularmente
inscrito para disputar o campeonato.

A torcida coxa-branca dormiu faceira com o pontinho conquistado diante do Fluminense, que colocou o Coxa em quinto lugar na classificação. Ao acordar, entretanto, veio a bomba: o Alviverde corre o risco de perder seis pontos na classificação, o que hoje deixaria o time com saldo de -2 pontos. Tudo fruto de um vacilo do departamento de registro do clube.

Ao receber o BID (Boletim Informativo Diário) do dia 12 de abril, com os nomes dos 52 atletas registrados pelo clube (a lista inclui juniores), os responsáveis pela documentação não perceberam a ausência do atleta Carlos Eduardo Soares, o Ataliba, que não atuou contra o Fluminense no domingo.

Com base nessa ausência, o Guarani, de Campinas, entrou ontem com um pedido de impugnação da partida inaugural do Coritiba, sob a alegação do uso de um atleta irregular. No regulamento do campeonato brasileiro, está bem claro que “somente poderão participar da primeira rodada da competição atletas profissionais que tenham seus contratos registrados no Departamento de Registro e Transferência da CBF e cujos nomes constem no BID publicado até o dia 15 de abril”. Como Ataliba não estava no BID até esta data, ofereceu objeto de denúncia ao Bugre.

O caso deve ir a julgamento e no caso de uma punição, o novo Código Disciplinar do Futebol Brasileiro prevê a perda do dobro de pontos creditados a uma vitória – no caso, seis – e risco de ter que pagar uma multa de R$ 5 mil a R$ 50 mil.

Além de Ataliba, estava sob investigação do advogado Marcos Doniti, que defende o Guarani nesse caso, o atleta Cacique, que entrou no decorrer da partida contra o Fluminense. Entretanto, o nome de Cacique – José Antônio Gonçalves da Silva Júnior – está no BID, não dando brecha para nova denúncia.

Defesa

A diretoria do Coritiba reconheceu a falha do departamento de registro ao não conferir os nomes no BID, mas já organizou um plano de defesa com provas documentais de que Ataliba está com a documentação regular e que a ausência de seu nome no BID foi uma falha do departamento de registros da CBF. “A falha original é da CBF. O Ataliba está regular e uma prova disso é que ele foi autorizado pela própria CBF a disputar a Libertadores. A situação contratual dele não mudou”, defende o vice-presidente Domingos Moro. No ano passado, Ataliba esteve emprestado ao Sport e voltou no início do ano. Pelo artigo 13 do regulamento, o contrato dele foi automaticamente reativado pela CBF com o fim do empréstimo, o que deu a ele condições de disputar a Libertadores. “A CBF garantiu a regularidade da documentação dele e uma vez regular na CBF, ele estaria apto a disputar qualquer competição organizada pela CBF.”

Independente da argumentação, o fato é que o atleta não estava no BID e a denúncia foi feita. Agora, uma comissão disciplinar da CBF vai analisar o pedido do Guarani e poderá encaminhar para uma apreciação do Superior Tribunal de Justiça Desportiva. De antemão, o vice-presidente de futebol Domingos Moro, o advogado Fernando Barrionuevo, o supervisor Oscar Yamato e o funcionário Fábio Zanetti estarão hoje pela manhã no Rio de Janeiro, com todas as provas que permitem alegar a falha da CBF.

Os jogadores estão apreensivos

Era para ser um dia tranqüilo no CT da Graciosa, com olhos apenas para o Internacional, adversário de amanhã à noite, às 20h30min, no Couto Pereira. Mas os jogadores não conseguiram esconder o descontentamento com a notícia de que o clube corre o risco de perder seis pontos na classificação. Os atletas ficaram sabendo da notícia no ônibus, a caminho do centro de treinamentos.

“Não estamos sabendo exatamente o que aconteceu, mas tomara que isso não aconteça. Não quero ter que correr atrás de uma coisa que não compete a mim e ao grupo”, disparou o atacante Aristizábal, deixando claro o descontentamento com a falha de bastidores.

O capitão da equipe, Reginaldo Nascimento, tentou amenizar a situação. “Ainda não sabemos o que vai acontecer. Estamos tristes com essa possibilidade, mas não podemos nos abater”, disse o capitão. O pensamento positivo está diretamente ligado à boa fase que vive a equipe dentro de campo. Após a conquista do título paranaense, o time venceu na estréia contra o Guarani e empatou com o Fluminense. “Se acontecer o pior, temos muito tempo para recuperar. Não deixa de ser terrível perder tantos pontos em uma competição de pontos corridos. Mas temos que continuar lutando”.

O meia Luís Carlos Capixaba acredita que não é um possível revés como esse que vai desviar o Coritiba no Brasileirão. ” É uma pe”ssima notícia, pois fizemos a nossa parte e já mostramos uma boa evolução contra o Fluminense. Mas independente do que aconteça nos bastidores, temos que seguir fazendo a nossa parte”.

Otimismo mesmo só da parte do técnico Antônio Lopes, que acredita na absolvição do Coritiba. “O jogador tem condições legais, está com a documentação em dia, inscrito e com contrato vigente. Houve uma omissão do nome dele na lista por falha da CBF. Tudo será resolvido”, disse.