Goleirão está cotado para
defender o gol do Atlético-MG.

O futebol tem dessas coisas. Tão logo o Coritiba conquistou o título de campeão paranaense de 2004, as especulações em torno da manutenção do elenco já começam a pipocar. Apesar da diretoria estar satisfeita com a qualidade do grupo, não há como negar que existe um temor em perder alguns de seus principais jogadores.

O sucesso da trinca de ouro, formada por Aristizábal, Tuta e Luís Mário, bem como do lateral-esquerdo Adriano, torna esses atletas os principais alvos de outros clubes. O goleiro Fernando, segundo informações da imprensa mineira, interessa o Atlético-MG, que é comandado por Paulo Afonso Bonamigo e estaria disposto a pagar a multa rescisória de R$ 180 mil para o Coxa.

Os três primeiros têm contrato até dezembro e Adriano tem seus direitos federativos vinculado ao clube. Entretanto, no contrato do trio de ataque há uma cláusula que possibilita uma eventual negociação com o exterior. “Todos os atletas, no ato do contrato, ganham uma multa rescisória referente a clubes brasileiros. Para o exterior, é diferente”, diz o vice-presidente Domingos Moro. Para complicar, o dirigente garante que há uma rede de informação que circula em torno da CBF que permite que outros clubes saibam dos valores das multas. “Esse tipo de informação deveria ser sigilosa para evitar rupturas de contratos. Mas não acontece. Quando um clube vem e faz a proposta, a faz com base na multa rescisória”, explicou Moro.

Entretanto, será muito difícil que um atleta do clube saia para defender outra agremiação dentro do País. O atacante Tuta, por exemplo, teria recebido proposta do Bahia, mas garante preferir o Coritiba. “Não vou sair daqui para disputar uma segunda divisão. Sou muito grato ao Coritiba”, diz o artilheiro. Tirado do ostracismo do futebol coreano, o atacante disse que a conquista do título foi como uma ressurreição para ele. Por isso mesmo, deve ser difícil Tuta aceitar uma proposta, por exemplo, do futebol oriental. “Lá a gente cai no esquecimento”, disse no dia da conquista do estadual.

O companheiro de ataque, Luís Mário, entretanto, não pensa assim. Ciente do belo desempenho que teve no paranaense, ele espera receber proposta do futebol europeu. “Mas isso só aconteceria em julho, quando abrem-se os mercados no exterior. Nesse momento, só estou concentrado no Coritiba”, disse. Indagado sobre uma possível sondagem do futebol japonês, ele foi direto. “Se valer muito a pena, quem sabe?”.

Sobre o colombiano Aristizábal, uma possível saída é inviável. Quando contratado, o jogador ganhou uma quantia considerável para ficar até o final do ano e dificilmente abrirá mão do contrato, já que a multa rescisória é proporcional ao seu salário.

Mais empenho ainda terá que ter o clube que quiser tirar o garoto-prodígio Adriano do Alto da Glória. Considerado um dos melhores laterais-esquerdos do Brasil e sério candidato a uma convocação do técnico da seleção brasileira Carlos Alberto Parreira, Adriano só deixa o Cori por muito, mas muito dinheiro mesmo.

Ricardinho deve ser a novidade na estréia

Se não houver nenhum contratempo, o lateral-esquerdo Ricardinho será a única novidade do Coritiba para a estréia no Brasileiro, contra o Guarani, amanhã à noite, no Alto da Glória. O titular da posição, Adriano, sofreu um estiramento na coxa direita e ficará de molho por duas semanas.

Ricardinho lamentou a contusão do companheiro, mas não esconde a alegria de começar o Brasileiro como titular. “Sinto pelo Adriano, mas chegou a hora de eu aproveitar”, diz.

A brecha dada por Adriano é uma repetição do que aconteceu no ano passado. Nos dois últimos jogos do Brasileirão, contra Fortaleza e Criciúma, ele apareceu como titular em função de uma contusão de Adriano. “Foi minha estréia no campeonato brasileiro. Apesar de ser o final do campeonato, foi importante porque os dois resultados asseguraram nossa vaga na Libertadores”, lembra o jogador, referindo-se ao empate e à vitória, respectivamente.

Ritmo

No último domingo, Ricardinho teve a oportunidade de entrar ainda no primeiro tempo e foi o autor da cobrança de falta que originou o gol do título, assinalado por Tuta. “Foi muito emocionante contribuir decisivamente para a conquista do título”, disse.

Ricardinho está consciente de que a bela conquista ficou no passado. E se o título deu mais confiança ao elenco, por outro lado fez a responsabilidade do time aumentar para a disputa do nacional. “Certamente, os adversários terão muito mais cuidado com a gente. O segredo será manter a seriedade que mantivemos no estadual”, ensina.