Dupla de “Reginaldos” volta para
tentar arrancar pelo menos um
ponto contra o Atlético-MG.

Acompanhe esta partida on-line

Depois de mais de um mês, o Coritiba pode ter em campo hoje quase toda a equipe considerada titular. Com as lesões e suspensões, o técnico Paulo Bonamigo acabou retomando quase toda a equipe que conseguiu chegar à liderança do campeonato brasileiro, à exceção de Edinho Baiano, que segue em tratamento.

Se tudo correr como esperado, a partida contra o Atlético-MG, hoje, às 20h30, no estádio Independência, marca o retorno de Reginaldo Nascimento à equipe. Essa pelo menos é a aposta de Bonamigo. O treinador gostou do que viu e ouviu do volante, e acredita que ele ao menos participe de um tempo da partida. “Se ele fizer isso, já será importante”, confessa. Ele teria, então, o titular da função mais importante para o propalado ?equilíbrio tático? do Coritiba. Um retorno fundamental, porque o imediato da posição (Willians) está suspenso, e seria obrigatória a improvisação se Nascimento não jogasse.

E ela ainda pode acontecer, porque a recuperação de Reginaldo foi cheia de percalços. Não é a primeira vez que ele forma no grupo para uma partida e acaba não jogando -isso aconteceu no Atletiba, quando Danilo foi o escalado. Se ocorrer de Nascimento não jogar, a improvisação foi escolhida – Pepo, que treinou durante boa parte do coletivo de terça. A outra opção seria Danilo, mas a entrada dele mexeria em toda a defesa, o que Bonamigo não pretende fazer em um jogo tão decisivo como o de hoje. “Espero contar com o Reginaldo, mas se isso não acontecer vou manter o time do treinamento”, garante o treinador.

Isso também deve acontecer no ataque, apesar do mau rendimento de Lima e Da Silva no treino de terça. A opção pelos dois foi tomada observando todos os detalhes que cercam o jogo. “Tudo importa, desde o estado do gramado, a pressão do adversário e até mesmo o clima”, afirma Bonamigo. “Mas o que mais interessa é a forma como virá o nosso adversário, já que temos que vencer os duelos individuais para termos vantagem na partida”, explica.

Para completar, Reginaldo Araújo retorna à equipe, mais cedo até do que se imaginava. Ele foi ?beneficiado? pela lesão (contratura muscular na coxa direita) de Ceará, que sequer viajou para Belo Horizonte. “Isso não me preocupa, porque o Araújo está treinando muito bem”, garante Bonamigo.

Adversário

O Atlético-MG não terá Edgar, Batata, Nem, Paulinho e provavelmente Hélcio no jogo desta noite. Com isso, o técnico Geninho terá que mexer no esquema tático da equipe, retomando a formação com quatro zagueiros. Com isso, Genalvo e Alexandre devem enfrentar o Coritiba. Ao menos, o treinador terá o retorno do lateral Mancini, que cumpriu suspensão no domingo, contra o Atlético-PR.

Coritiba tem jogo decisivo contra o Atlético-MG

A hora da verdade chegou. Depois de 21 partidas, ascensões e decadências, o Coritiba entra em campo para a mais importante das batalhas rumo à classificação para a segunda fase do campeonato brasileiro. Hoje, às 20h30, contra o Atlético-MG, no estádio Independência, a equipe de Paulo Bonamigo pode conseguir o salto necessário para não só estar entre os oito melhores, mas também para conseguir uma posição melhor.

Tanto é verdade que o treinador alviverde não pensa em deixar Belo Horizonte sem ao menos um ponto. “O jogo é de seis pontos, e nós não podemos deixar o Atlético se desgarrar. Por isso precisamos de no mínimo um empate. Não que iremos jogar pelo empate, mas sim pela importância da partida”, resume Bonamigo.

Segundo o técnico alviverde, a partida tem caráter tão decisivo que ele até admite perder pontos nos outros jogos, mas não hoje. “Qualquer ponto que o Atlético ganhe será um obstáculo a mais para o Coritiba. Então podemos até ceder alguma coisa contra Paraná, Figueirense e Gama, mas de forma alguma para o Atlético”, diz. Para Bonamigo, nem mesmo o fator local pode ser considerado. “É mais importante tirar pontos deles do que mesmo vencer em casa”, compara.

Assim, o estilo de encarar a partida torna-se mais natural. “Nem devemos pensar no que vem pela frente. O nosso adversário é o Atlético, e vamos para uma final”, diz o capitão Pícoli. “O que fizermos contra eles será decisivo para a nossa classificação. É a partida mais importante do campeonato para nós”, concorda o goleiro Fernando. Mas não será fácil, e todos concordam com isso. “O Atlético é um time excelente”, elogia o volante Roberto Brum, que volta à equipe. “Não fosse assim, eles não estariam na posição que estão”, completa.

Mas, ao mesmo tempo, o Cori chega com a confiança de quem está melhorando na hora certa. Depois de quase entrar em crise, as duas vitórias (sobre Cruzeiro e Internacional) devolveram a calma e a auto-estima ao elenco. “Podemos nos classificar, porque só depende dos nossos esforços. Se conseguirmos manter o nosso espírito de competição e a vontade de vencer, temos condições de buscar uma vitória em Belo Horizonte”, afirma Pícoli.

E para que os jogadores mantenham o nível de motivação elevado, Bonamigo usou da tática habitual – muita conversa e exigência de erro zero. “Eles estão conscientes do momento que o Coritiba vive, e da importância de cada jogo. Em um confronto direto como esse, nós temos que jogar com a determinação máxima”, finaliza o treinador coxa.

Um a mais

As contas do Coritiba mudaram. Depois de acreditar que com 39 pontos a equipe se classificaria entre os oito primeiros, a comissão técnica agora aposta em uma pontuação maior. “Estávamos pensando em 39 pontos, mas acho que vamos precisar ao menos de mais um ponto para garantir de vez a classificação. Nossa necessidade é de um empate e duas vitórias”, explica Bonamigo.

Talismã do Cori está de volta e vai ser pai

Ele está de volta. Depois de se tornar – por duas partidas – o talismã do Coritiba, o atacante Lima retorna ao time titular, transformando-se na principal esperança de gols da equipe nesta noite, contra o Atlético-MG. É, talvez, o melhor momento dele: afinal, além de voltar a ficar de bem com as vitórias e com os gols, o atacante agora sabe que vai se tornar pai pela primeira vez.

“Foi uma semana incrível, muita coisa boa aconteceu na minha vida”, confessa Lima. Depois de viver má fase técnica, perdendo inclusive a vaga no time titular, o atacante conseguiu a recuperação dentro de campo. O ‘trailer’ foi mostrado na véspera da partida contra o Cruzeiro, quando ele foi o destaque do treino jogando entre os reservas. Depois, veio a glória – os gols decisivos contra Cruzeiro e Inter. “Tenho que agradecer ao Bonamigo, que sempre confiou em mim, apesar de eu estar no banco”, diz Lima.

Para fechar, o filho que vem por aí. A notícia estava guardada, mas a própria esposa (grávida de abriu o jogo para os repórteres após a vitória sobre o Inter. “É a coisa mais maravilhosa do mundo”, confessa o jogador, ainda meio assustado com a situação. “Espero ser um bom pai para a criança que está vindo”, diz.

Enquanto isso, ele pensa em voltar ao time principal em alto estilo. “Acho que o Bonamigo tinha razão quando me tirou do time, e agora me sinto pronto para voltar”, garante Lima, que não rendia o esperado dele minutos após ter entrado – a dificuldade de entrar no ritmo da partida foi visível nos dois últimos jogos. “Quem entra acaba tendo que se adaptar à velocidade do jogo, e eu senti uma certa dificuldade. Mas agora está tudo bem, e quero ajudar o Coritiba a se classificar”, finaliza o jogador. (CT)