Walter Alves / O Estado do Paraná
Ricardo é dúvida na esquerda e disputa
a posição com Adriano para jogo de hoje.

O Coritiba venceu quatro partidas longe do Couto Pereira. E todas elas com a mesma característica – adversários pressionados, que necessitavam da vitória e que acabavam sucumbindo ao jogo “chato” alviverde.

Foi assim que São Paulo, Vasco, Cruzeiro e Goiás foram derrotados, e é aproveitando a mesma situação que o Coxa quer trazer mais uma vitória de Belo Horizonte, desta vez sobre o Atlético-MG, às 18h, no Mineirão.

Foi lá que o Cori conseguiu sua primeira vitória fora de casa. “Nós conseguimos, naquela partida, aproveitar a pressão que o Cruzeiro sofria e revertê-la para o nosso lado. Temos que tentar fazer algo semelhante contra o Atlético”, comenta o volante Ataliba. O Galo está perto da zona de rebaixamento, e mais uma derrota no Mineirão explodiria a crise que insiste em rondar o time de Jair Picerni.

Mesmo assim, o técnico Antônio Lopes quer respeito ao 20.º colocado do brasileiro. “O nosso maior desafio é enfrentar o Atlético lá em Belo Horizonte. O Jair é um grande técnico, e o elenco é forte. Eles não merecem estar lá atrás na tabela”, afirma o Delegado, que quer um time encarando a partida como uma decisão. “Chegamos na reta final da competição. E, como estamos a oito pontos dos líderes, uma vitória agora é muito importante”, diz.

Este “espírito de final” tomou conta do elenco. “É porque a gente trabalha isso há muito tempo. É um assunto que está na nossa pauta desde o início do segundo turno”, afirma Lopes, usando um termo jornalístico. “A avaliação é simples: agora faltam dezessete partidas. Jogamos contra o Atlético e só ficam dezesseis. Quando a gente menos perceber, o campeonato já acabou”, explica Aristizábal. “Por isso nós temos que olhar para cada jogo como uma decisão, pois assim vamos estar sempre prontos para definir”, completa.

Antônio Lopes dá outro recado. “Não podemos ficar olhando para o que vem pela frente, muito menos para o que já aconteceu. Nosso assunto deve sempre ser o jogo que vai acontecer”, avisa. É mais um reforço para o tal “espírito de final”. “Nós temos que esquecer a vitória sobre a Ponte Preta. Da mesma forma que deixamos passar os resultados negativos, precisamos esquecer os bons jogos”, concorda o volante Roberto Brum.

Em campo, Antônio Lopes ainda não anunciou a equipe. No treino de ontem, vários titulares foram poupados – fato comum nas últimas semanas. “Quero esperar a recuperação. Todo mundo está cansado”, admite. Mas a única dúvida fica entre Adriano e Ricardo na lateral-esquerda – um é o titular e jogador da seleção brasileira; o outro foi um dos destaques da partida de quinta. “Deixa o Lopes decidir. Ele sabe o que é melhor para o time”, desconversa Ricardinho.

Galo sem vencer

Eduardo Kattah

Belo Horizonte (AE) – O Atlético-MG tem hoje, contra o Coritiba, mais uma chance para tentar quebrar a incômoda seqüência de sete partidas sem vitórias no campeonato brasileiro. A série de maus resultados fez o técnico Jair Picerni perder a paciência. Após o empate em casa com o Juventude, na última rodada, o treinador disse que estava “envergonhado” com a situação e durante a semana prometeu dar uma “chacoalhada” no grupo.

Para o jogo contra a equipe paranaense, o técnico chegou a acenar com mudanças no time, mas deverá promover apenas uma alteração tática, mantendo o mesmo time que iniciou a partida contra o Juventude. Picerni decidiu recuar o atacante Alex Mineiro, que atuará como armador, enquanto Rodrigo Fabri foi adiantado para jogar na frente, ao lado de Márcio Santos.

CAMPEONATO BRASILEIRO
ATLÉTICO-MG X CORITIBA

AtléticoMG: Danrlei; Alessandro, Adriano, André Luiz e Rubens Cardoso; Walker, Zé Luís, Renato e Alex Mineiro; Rodrigo Fabri e Márcio Santos. Técnico: Jair Picerni

Coritiba: Fernando; Jucemar, Miranda, Flávio e Adriano (Ricardo); Ataliba, Roberto Brum, Luís Carlos Capixaba e Reginaldo Vital; Aristizábal e Tuta. Técnico: Antônio Lopes

Súmula
Local
: Mineirão (Belo Horizonte-MG)
Horário: 18h
Árbitro: Luís Marcelo Vicentin Cansian (SP)
Assistentes: Válter José dos Reis (FIFA-SP) e Márcio Luiz Augusto (SP)