Foto: Allan Costa Pinto

Dorival Júnior colocou Marlos na sua posição de origem, para tentar quebrar o tabu de nunca ter vencido o São Caetano fora de casa.

Nada como um desafio longe de casa (às 21h50 em Santo André) e por outra competição para passar uma borracha no mau futebol apresentado nos últimos três jogos. Até quando venceu o Adap Galo, no Estadual, a torcida vaiou a equipe, mas agora pela Copa do Brasil o pensamento do Coritiba é voltar aos trilhos e se redimir contra o perigoso São Caetano.

O Azulão não é mais aquele, mas como o Alviverde nunca venceu em São Paulo, ele se torna uma carne de pescoço. Mas nada que o Alviverde não possa superar, ainda mais que se quebrar esse tabu e fizer dois gols de diferença, volta classificado.

?É uma outra competição. Precisamos esquecer o Paranaense e pensar só na Copa do Brasil?, aponta o volante Douglas Silva. Ele tem razão. No Estadual, a equipe só depende de si, mas para chegar em segundo lugar e com a desconfiança dos torcedores, que não engoliram as derrotas para Toledo e J. Malucelli e vaiaram até vitória. ?É que o momento, com dois resultados negativos e a necessidade de vencer, cria uma situação em que o peso da vitória e de fazer um bom jogo acaba impedindo você de jogar com naturalidade. Tanto que fizemos o gol e nos retraímos sem necessidade?, explica o técnico Dorival Júnior.

Por isso, contra o São Caetano, o Coxa quer mais é usar o regulamento, que garante a classificação antecipada caso o visitante vença por dois ou mais gols de diferença. ?A gente precisa ir lá e fazer gol, porque vai ser muito importante se tiver o jogo da volta?, destaca o volante. E uma vantagem pode ser jogar no Bruno José Daniel, em Santo André, já que o Anacleto Campanella está em reformas. ?Não estão jogando em seu estádio, mas estão jogando diante de seu torcedor, em São Paulo. Com certeza eles vão querer vir pra cima da gente, irão se defender bem e não vão querer tomar gols?, projeta Douglas.

No entanto, apesar do Azulão ter ido mal no Campeonato Paulista e estar passando por uma reformulação para a Série B, o Coritiba terá que quebrar a sina de nunca ter vencido o adversário como visitante.

O São Caetano tem sido uma verdadeira asa negra na vida do Alviverde, já que foi o time paulista que praticamente jogou a pá de cal no rebaixamento de 2005. De qualquer forma, o Coxa está definido com a força máxima dos jogadores que podem ser usados na competição. Sem Carlinhos Paraíba, que já jogou a Copa do Brasil pelo Santa Cruz, Júnior optou por Henrique Dias no ataque e Marlos na meia.

COPA DO BRASIL

2.ª Fase –  Jogo de ida

São Caetano x Coritiba

São Caetano

Júlio César; Aderaldo, Leonardo e Tobi; Rogério, Galiardo, Hernani, Douglas e Andrezinho; Tico e Marcelinho.

Técnico: Pintado

Coritiba

Edson Bastos; Marcos Tamandaré, Maurício, Jéci e Rubens Cardoso; Douglas Silva, Leandro Donizete, Pedro Ken e Marlos; Henrique Dias e Keirrison.

Técnico: Dorival Júnior

Local: Bruno José Daniel (Santo André)

Horário: 21h50

Árbitro: Antônio Frederico de Carvalho Schneider (RJ)

Assistentes: Marcelo Fonseca Duarte (RJ) e Jackson Lourenço Massarra dos Santos (RJ)

Entrevista de emprego

Muita calma nessa hora. É assim que o Coritiba está fazendo para contratar seu novo coordenador de futebol, que terá a difícil missão de moldar o elenco para a disputa da Série A. Por isso, a diretoria alviverde tem feito entrevistas com profissionais da área antes de tomar qualquer decisão. Quem já passou pela sabatina foi Gustavo Mendes (que passou pelo Fluminense) e César Sampaio (atualmente no Rio Claro e indicado por Evair, a primeira opção e que recusou o convite). Outros nomes estão sendo contatados, mas a definição sai somente nos próximos dias.

Segundo apurou a reportagem, os dirigentes querem se certificar que o profissional que vai assumir o comando do futebol esteja em sintonia com aquilo que o clube projeta para disputar a primeira divisão. Por isso, as consultas, os contatos e as pesquisas sobre possíveis alvos para assumir a função deixada por Tonico Xavier na semana passada. Assim, além de Mendes e Sampaio, o clube também já prospectou mais gente no Rio Grande do Sul e no interior de São Paulo. Como o mercado não está favorável, a idéia é avaliar muito bem a pessoa a ser contratada.

A função do novo coordenador é fazer o elo entre o técnico Dorival Júnior e jogadores com a direção, mas o foco vai estar mesmo nas contratações que precisarão ser feitas para o Nacional. Um centroavante, laterais e mais um zagueiro são as prioridades.

Azulão quer incomodar

Passada a má campanha no Campeonato Paulista, o São Caetano vive uma nova era com o técnico Pintado. Depois de assumir o barco no meio da competição, ele segurou o time na primeira divisão paulista, avaliou o elenco e agora parte para a montagem da equipe para a Série B. No entanto, na Copa do Brasil o Azulão já quer mostrar que volta a ser temido. ?O passado deve ser apagado e as lições aprendidas. Agora quero um pensamento e um grupo com espírito vencedor?, diz o treinador, que já passou pelo Paraná Clube. Para tanto, a novidade é o zagueiro Leonardo, que estava no Shaktar Donetsk/UCR, chegou e já joga. ?Claro que o entrosamento não é o ideal, mas a vontade de ajudar o São Caetano é muito maior?, avisa o jogador, que entra na vaga de João Paulo. O restante da equipe não deve ter alterações em relação ao confronto contra o Palmeiras.