Foto: Valquir Aureliano/Tribuna

Eanes vai jogar ao lado de William
no ataque e não ficou zangado
por não poder usar brinco.

Um brinco move o atacante Eanes no Coritiba. Isso mesmo. Adepto do acessório, o atacante alviverde está proibido até de dar entrevistas usando um, mas o título da Série B poderá ser a vingança contra o supervisor Odivonsir Frega. Tudo graças a uma inusitada aposta, que mostra o bom ambiente no Alto da Glória. Agora, quando o assunto é conquistar três pontos, o jogador não quer nem saber e prega muito trabalho e seriedade para passar pelo Remo nessa volta à equipe na partida de amanhã.

?Está proibido de a gente usar no trabalho e ele prometeu que, se a gente fosse campeão no 1.º turno, estava liberado. Nós fomos campeões, então está liberado?, diz Eanes.

No entanto, a brincadeira parece não ser bem esta, como diz o jogador. ?Está liberado no avião e na concentração. Agora, se for campeão no final do ano eu terei que colocar brinco?, admite Frega. Sempre zeloso pelo bom ambiente de trabalho e pela imagem do clube, ele não deixou o atacante falar para as tevês com brinco.

O que poderia gerar alguma animosidade com os jogadores gerou mais um motivo para a conquista do título. ?O nosso grupo é maravilhoso e não tem como algum jogador não entrar no clima?, comemora Eanes. Tudo para ver o sisudo Frega de brinco. E dentro desse clima, Eanes volta a ganhar uma oportunidade como titular para o confronto das 20h30 de amanhã contra os paraenses. ?Tive uma lesão que me impossibilitou de jogar por quase dois meses, estou voltando e espero que possa contribuir da melhor forma possível?, projeta.

Para ele, a conquista do primeiro turno foi apenas simbólica. ?Temos que colocar os pés no chão porque não ganhamos nada e temos muita coisa para fazer e alcançar?, analisa. Ele garante que vai entrar na equipe para manter esse desempenho e ficar entre os titulares. ?Aqui não tem titular, não tem reserva e acho que aquele que der brecha vai ser difícil voltar.

Eu espero retornar e ajudar a minha equipe a sair vitoriosa?, promete.

E o entrosamento com William, o companheiro de ataque? ?É o melhor possível. O William é um belo jogador, estava há muito tempo parado por lesão, está voltando bem e espero que a gente possa fazer muitos gols?, finaliza o atacante.

Bonamigo está entre Peruíbe e Batatinha

Só uma dúvida resta ao técnico Paulo Bonamigo para escalar o Coritiba para a partida das 20h30 de amanhã contra o Remo. Na abertura do returno da Série B, Peruíbe e o 3-5-2 ou Batatinha no 4-4-2? Essa é a questão que o treinador define no trabalho de hoje à tarde no CT da Graciosa. ?O Peruíbe vem treinando bem e a gente fica, mais ou menos, da forma como vem atuando. Ou pode jogar o Batatinha, que fez um excelente jogo lá em Florianópolis e torna a equipe diferente do que vem jogando?, explica.

No resto do time, nenhuma novidade em relação ao trabalho de terça-feira. O substituto de Artur no gol vai ser Kléber mesmo e, no ataque, Eanes e William estão confirmados. Na meia, Cristian volta a atuar na sua, ao lado de Jackson, que retorna de suspensão.

?Estou procurando o momento de cada atacante meu e o restante da equipe é o mesmo?, completa Bona. Para este confronto, o atacante Ânderson Gomes e o volante Paulo Miranda, bem como o meia Caio e o zagueiro Índio estão fora devido a contusões. A expectativa é de que os dois primeiros voltem somente contra a Portuguesa, dia 9, em São Paulo.

Apito

Para a partida contra o Remo, o catarinense José Acácio da Rocha será o comandante. Ele será assistido pelos conterrâneos Luís Alberto Kallenberger e Fernando Lopes. A CBF também sorteou o trio de arbitragem para a partida contra o Guarani, programada para as 20h30 de terça-feira.

O capixaba Édson Esperidião será o árbitro principal, assistido por Antônio Carlos de Oliveira e Marcos Antônio Moreira Collodetti, também do Espírito Santo.