Futura Press
Capixaba driblou Sérgio
e marcou um golaço.

Um prá la, outro pra cá. O Coritiba dominou grande parte do jogo de ontem, no Palestra Itália, mas ficou no empate por 1×1, com o Palmeiras. O resultado mantém o time paranaense na ?turma da marola?, a dez pontos do líder e a sete da zona de rebaixamento. O 13.º lugar está aquém das pretensões do Coritiba, que segue fora da zona de classificação à Copa Sul-Americana.

Logo no início da partida, em um lance isolado, o Coritiba viu sua vida se complicar quando Washington abriu o placar. Tudo bem que o lançamento de Juninho Paulista foi primoroso, mas Washington errou ao dominar a bola e com uma dose de sorte tocou entre as pernas de Flávio. Frente a frente com Douglas, o atacante só teve o trabalho de encobrir o goleiro,

aos 8 minutos. Sob o efeito do golpe, o time de Cuca quase sucumbiu aos 21 minutos. Washington cabeceou à queima-roupa e Douglas defendeu com muito reflexo. Pois a partir daí, só deu Coritiba.

Ou quase. Com um bom toque de bola, o time paranaense envolveu o adversário, tirando proveito da total inoperância de Pedrinho no jogo. Com esta ?vantagem numérica?, o Coritiba foi conquistando espaços e escanteios, mas sem muitas chances reais para o empate. Foram três – pouco diante do volume de jogo apresentado -, mas foi aí que surgiu outra deficiência: a falta de pontaria. No primeiro lance, o gol só não aconteceu porque Sérgio fez grande defesa em um arremate ?do meio da rua? de Ricardinho.

Nas jogadas seguintes, faltou precisão. Primeiro com Vágner, que cabeceou sobre o travessão um cruzamento de James, em cobrança de falta. Pouco depois, aos 41 minutos, numa jogada muito parecida, Ricardinho levantou e Renaldo ?se assustou? com a bola (nas palavras do próprio jogador) e permitiu o corte de Gamarra, no que Cuca considerou a bola do jogo. Émerson Leão deixou claro seu descontentamento ao mudar até o esquema de jogo do Palmeiras. Voltou para o segundo tempo num 3-5-2, com Leonardo Silva e Diego Souza nas vagas de Baiano e Pedrinho.

A alteração só fez com que o Coritiba fosse ainda mais à frente e, na pressão, chegou ao empate aos 23 minutos. Caio lançou Capixaba, que na saída de Sérgio, fuzilou. Sem diminuir o ritmo, o Coxa esteve a pique de virar o placar por duas vezes, mas no final a pressão foi do time da casa. No toma-lá-dá-cá, nem mesmo com as alterações dos técnicos, ninguém chegou às redes. O empate, se não foi o ideal, reabilitou os dois times, que vinham de derrota no Brasileirão. Na próxima rodada, o Cori recebe o São Paulo, no Couto Pereira.

Cuca elogiou a disposição dos jogadores em campo

Cuca e os jogadores destacaram a eficiência da marcação como a maior virtude da equipe alviverde. Uma postura oposta àquela que frustrou a todos, na rodada anterior, frente ao Santos, quando o time foi impotente e perdeu por 2 a 0. O técnico Cuca só fez duas restrições: ao descuido da zaga no

gol do Palmeiras – nos primeiros minutos do jogo – e ao recuo da equipe no final da partida. ?Colocamos em risco o resultado, quando estávamos bem na partida?, disse Cuca, que vislumbra, apesar da colocação modesta, um crescimento natural da equipe na tabela de classificação.

?Estamos jogando bem e a tendência, com isso, é subirmos. Qual é o objetivo? Chegar até onde for possível. Se for a Libertadores, melhor?, comentou o treinador. Cuca reconheceu o esforço da garotada e acredita

que com o jogo de ontem ?ganhou? reforços importantes para a seqüência do Brasileirão. Além de James – o melhor em campo – o Coritiba também apresentou revelações como Douglas Peruíbe e Silas, sem contar Élton (ex-Iraty) e Douglas Ferreira. Mas, entre tantos ?Douglas?, um estava particularmente feliz.

O goleiro sabe que a pressão é grande, mas vem fazendo seu melhor para ganhar a confiança do torcedor. ?Não é fácil. É como matar um leão por jogo. A gente sai na rua, no dia seguinte, e sempre ouve comentários sobre a necessidade do Coritiba contratar um goleiro?, desabafou. ?Aos poucos, espero ganhar meu espaço.? Douglas teve participação decisiva no início do jogo, quando fez uma grande defesa num cabeceio à queima-roupa de Washington, que representaria 2×0 para o Palmeiras.

CAMPEONATO BRASILEIRO
24ª RODADA
SÚMULA
Local: Palestra Itália (São Paulo).
Árbitro: Willian Marcelo Souza Neri (RJ).
Assistentes: Edinei Guerreiro Mascarenhas (RJ) e Nalcy José da Silva (RJ).
Gols: Washington a 8 do 1º tempo. Luís Carlos Capixaba a 23 do 2º tempo.
Cartões amarelos: Renaldo, Douglas Peruíbe e Douglas Ferreira (Coritiba).

PALMEIRAS 1×1 CORITIBA

PALMEIRAS
Sérgio; Baiano (Leonardo Silva), Gamarra, Daniel e Fabiano; Marcinho Guerreiro, Corrêa, Juninho Paulista e Pedrinho (Diego Souza); Marcinho e Washington (Gioino). Técnico: Émerson Leão.

CORITIBA
Douglas; James, Flávio, Vágner e Ricardinho; Douglas Peruíbe, Silas (Douglas Ferreira), Luís Carlos Capixaba e Jackson (Élton); Caio (Marcelo Peabiru) e Renaldo. Técnico: Cuca.